Pensando nas peruas paulistanas de #passione e #tititi: Zona Lost virou Zona Luxo?

“Eu já fiz o meu ‘upgrade’. Só vou sair do Tatuapé para morar no Jardim América.” A frase do estilista Jacques Leclair (Alexandre Borges), dita para o rival Ariclenes (Murilo Benicio), apareceu num dos capítulos de “Ti Ti Ti”.

Na Ilustrada de domingo, 01/08, uma matéria tratava da “Zona Luxo” referindo-se a um bolsão de “riqueza” que se forma num dos bairros da Zona Leste (Zona Lost, para os maldosos). Eu que, desde que mudei para Sampa em 2005 só morei na Mooca, tradicional bairro que marca a entrada para Zona Leste (tem gente até que, para me agradar, fala que Mooca não é ZL, pode?), ainda me impressiono com o preconceito que existe em torno da região.

Sempre ouvi falar nas novelas sobre os moradores da Zona Sul e Zona Norte no Rio, mas não imaginava a mesma separação na capital paulista. Que triste notar que ela existe! E está sendo retratada, aberta ou indiretamente, em duas novelas atuais, o que faz com que a população local reagisse. O que vejo, pelo menos na Mooca, é o contrário da conversa entre os dois personagens que se cruzaram no Belenzinho, bairro da Zona Leste onde cresceram. Tem gente que, como Jacques Leclair, mudou-se para o Jardim Anália Franco, a “cereja” do Tatuapé, mas quem saiu daqui vive na saudade ou então pensa em voltar.

Mas e personagens como a perua Clô (Irene Ravache), de “Passione”? A dondoca, que só pensa em mudar para o lado dos ricos, odeia o bairro onde mora e, embora oficialmente a emissora não afirmar que ela mora no Tatuapé, muitas cenas de Clô foram gravadas no bairro, o que levou os telespectadores a conclusões.

A matéria da Folha levantava uma questão que acho pertinente e que tem sido debatida em comunidades do Orkut: “Será que a Globo só mostra as coisas bonitas do Rio?” e “É errado ela falar assim do Tatuapé. E não tem ninguém cafona como ela aqui”

E sobre o Belenzinho, embora eu goste muito do núcleo da vila onde moram a personagem de Dira Paes, Elisângela, Marco Rica e Murilo Benício, o fato é que a periferia ficou meio caricata! Tanto quanto o povo (rico ou pobre) passeando no Ibirapuera, valha-me Deus! Acho que está na hora da equipe da emissora passear mais por Sampa, não é mesmo?

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook