Fazendo a Diferença no @womens_forum #WFBR13

“Fundado em 2005, o Women’s Forum for the Economy and Society é o primeiro fórum do gênero em nível internacional, e em 7 anos já tem o legado de ser um local de encontros e interações para as mulheres de todos os países e origens. Como característica única do Women’s Forum, as opiniões e perspectivas das mulheres são apresentadas juntamente com os seus homólogos masculinos sobre questões importantes baseadas em cenários, e o quê o compromisso dos participantes pode fazer para favorecer uma mudança para um mundo melhor.”

9067730339_66999d9072

Nesta segunda e terça São Paulo recebe um encontro que me orgulha (e fico feliz por fazer parte das convidadas para ele): o Women’s Forum Brazil. Em 2012, primeira edição brasileira do evento, eu estava no Rio de Janeiro participando de dois eventos ligados à Rio+20. Neste ano, mesmo com uma bebê em casa, confirmei minha presença. Um dos motivos foi saber que exatamente a maternidade é o foco de alguns dos paineis: O fator maternidade pra quem quer fazer a diferença (Baby Factor).

Leia também: Das empregadas e nossa vida de primeiro mundo

Com o tema “Fazendo a Diferença”, o encontro espera reunir mais de 500 participantes (homens e mulheres) e criar oportunidades para analisar como as mulheres que ocupam postos de liderança no Brasil devem protagonizar mudanças sustentáveis no país e como o consistente networking entre os principais homens e mulheres do Brasil e de outros países pode fazer a diferença. Além disso, participantes da conferência devem explorar meios para criar benefícios sustentáveis com a intensa exposição internacional do Brasil durante a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016, discutindo com executivos a futura onda de mulheres em conselhos de administração e postos executivos de alto escalão.

Entre os palestrantes confirmados estão: Beth Brooke, vice-presidente global de Políticas Públicas da Ernst & Young; Tânia Braga e Fernando Cotrim, membros do Comitê Organizador da Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro; Celina Borges Torrealba Carpi, membro do Conselho do Grupo Libra, uma das maiores operadoras portuárias da América Latina; Alyse Nelson, presidente e CEO da Vital Voices Global Partnership; Jacqueline Pitanguy, fundadora e diretora da ONG Cepia (Cidadania, Estudo, Pesquisa Informação e Ação), uma das principais organizações brasileiras para a proteção dos direitos das mulheres; Sônia Regina Hess de Souza, presidente e CEO da Dudalina; e Albina Ruiz, fundadora da ONG Ciudad Saludable, uma inovadora organização peruana em administração ambiental e reciclagem.

9069955548_33fed75167

Acompanhe os paineis no Twitter e Facebook seguindo a hashtag #wfbr2013 ou no streamning. E vá além no papo participando do grupo no LinkedIn.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook