What are you doing?(Twitter)

Navegando à toa agora cedo, enquanto via o futebol feminino, encontrei num blog português este vídeo em inglês que tenta explicar o que é twitter e porque ficamos viciados nesta rede social que é um microblog coletivo. (MSN coletivo, como eu costumo chamar).

Deixo-o aberto no meu navegador (uso o aplicativo Twitbin no Firefox) e a sensação é de que sempre tem um interlocutor, porque a qualquer hora pode ter um outro twitteiro te seguindo e disposto a comentar o que você está fazendo. Exemplo? A tag #beijing2008, vamos vendo os esportes, comentando e passando o tempo, como quem conversa com o cara ao lado no bar enquanto vê futebol – tá, esta comparação é para quem é botequeiro e vê futebol – ou com a pessoa que está na fila do supermercado e puxa conversa sobre a capa da revista sobre novela.

Neste momento, estou seguindo a tag #seminarioinfo, aquele evento da Revista Info sobre Redes Sociais, que tem livestream no Blogblogs. Descartando umas bobagens, está bem interessante. 🙂
Para ter comentários, tweets, fotos e vídeos indexados pela ferramenta, use a tag #seminarioinfo 😉
TwitterCounter for @samegui
[update] Passei os olhos agora numa enquete no Meio Digital que perguntava:

O FORMATO INTRODUZIDO PELO TWITTS, DE MENSAGENS CURTAS DE TEXTO ATUALIZANDO O DESTINO E AS ATIVIDADES DOS USUÁRIOS, IRÁ SE TRANSFORMAR EM UM APLICATIVO TÃO USUAL EM NOSSAS VIDAS COMO O E-MAIL?

Twitts (twitter??) é uma rede social estruturada em microblogs com textos rápidos de no máximo 140 caracteres, que atualizam os participantes da rede sobre o que cada usuário anda fazendo ou onde está. Ganhou expressão internacional no ano passado e explodiu como novidade não só como uma nova forma de contato e relacionamento instantâneo entre os jovens, mas também em meio a uma série de outros públicos, desde restadores de serviço até profissionais liberais, tornandose a mais nova forma potencial de comunicação e marketing. Twitts enfrenta já outras soluções e empresas concorrentes entrando no mercado, mas, seja como for, o formato que criou é inovador e viral. A pergunta é: vai durar? Vai tornar-se algo tão usual como o e-mail? Vai se incorporar à nossa vida como o uso do celular?

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook