Voyerismo na internet e os passeios reais

Gostei da idéia exposta em Voyeurismo na era da informação por Alexandre Fugita no blog Techbits, falando sobre a nova forma de xeretar a vida alheia. Concordo com ele: a questão a é saber se alguém se importa com o que você está fazendo. (risos) Claro, o orkut virou uma sala de fofocas on line e hoje não se pode mais ter fotos ou recados abertos lá, mas a gente se pergunta quem tem tão pouca coisa importante para fazer que arruma tempo para entrar numa coisa como este orkuteiro! Se quer saber de novidades, assine o rss de alguns blogs do seu interesse, será muito bom. Tenho feito isto e aproveitado melhor o mundo virtual. A propósito, este meu blog também pode ter o conteúdo assinado, viram que fácil?
A tecnologia e a comunicação foram apenas alguns dos temas sobre os quais conversei com minha irmã que esteve aqui para o aniversário do Enzo e nos honrou passando também o próprio aniversário conosco. Ela mora no Rio há quase um ano e ficamos comparando muitas coisas das duas cidades, referência no Brasil para muitas coisas. Fomos às compras no Brás na segunda-feira. Eu já estou mais habituada, mas ela fez ótimas compras, sempre teve “olho clínico” para estas coisas. Comprou roupas de dia-a-dia em distribuidores digamos, “de lojas de shopping”, mas claro, sem o conforto, na correria, mas com bom preço. Nos divertimos juntas, irmã é uma figura diferente, só quem tem compreenderá o que eu falo. Passamos também pela Luz e a famosa Rua São Caetano, no Bom Retiro. Enfim, passeios bem paulistanos sob a ótica de quem não vive aqui.
Por falar em Brás -e para não deixar de falar em literatura aqui- o livro Nas Ruas do Brás, biografia de Drauzio Varela, está na minha lista de leitura para o ano. Engraçado que eu descobri este livro com crianças, na apresentação da terceira série da escola dos meus filhos. A turminha estudou biografias e este livro foi a base para uma delas.
Tenho uma intuição de que será uma versão paulistana de um filme que adoro, Paisagem de Meninos, com o qual meu querido amigo Diegho Kozievitch (ainda adolescente, mas depois de viver o Nino no longa do Castelo Rá Tim Bum) ganhou um kikito, que narra uma passagem da vida de meninos pré-adolescentes na Lapa, cidade histórica do Paraná.

Links deste post: Samui, né?!

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.