destaque / sustentabilidade

  
Hoje, 07/08/2015, o auditório do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia – Inema, em Juazeiro (BA), recebe a XV reunião Plenária Ordinária do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Salitre, um dos afluentes do rio São Francisco. A reunião marca o início do processo eleitoral no âmbito do colegiado. Na plenária, um dos itens de pauta a ser discutida é um estudo referente ao Baixo Salitre, que deve apontar a capacidade de comprometimento hídrico do manancial. 

O “local” chega a nós também, pois a região tem muitas atividades agrícolas e pecuárias.

No encontro, osecretário estadual de Meio Ambiente da Bahia, Eugênio Spengler, apresentará o Plano de Bacia do Salitre, um documento iniciado no ano de 2009 e que até hoje não foi concluído.

Outro ponto de pauta é a discussão referente à disponibilidade hídrica do Baixo Salitre, que envolve os municípios de Juazeiro e Campo Formoso. 

E por que devemos ficar de olho neste tema e acompanhar a eleição do novo colegiado da Comissão do Comitê do rio Salitre?

Porque o local tem importância regional indiscutível. Mas Historicamente, a Bacia do Rio Salitre é marcada pelo conflito do uso da água. 

O conflito pelo uso da água continua porque o solo da região do Salitre é um solo originário do granito e calcário, com excelente permeabilidade, indicado para atividades agrícolas e pecuárias e especialmente à criação de caprinos. 

Próximo ao leito do rio e na sua foz o solo é do tipo Bruno não Cálcico, possui alta fertilidade natural e é indicado para irrigações. As áreas aluvionares da bacia vêm sendo exploradas desde longa data com agricultura irrigada e com o grande aumento da demanda para fins agrícolas, o que agravou a escassez de água no rio, principalmente no seu trecho final, próximo à cidade de Juazeiro.

O rio Salitre fica localizado na porção Norte da Bahia. Sua bacia hidrográfica é composta pelos municípios de Morro do Chapéu, Várzea Nova, Miguel Calmon, Umburanas, Jacobina, Mirangaba, Campo Formoso e Juazeiro. Historicamente, a bacia do rio Salitre é marcada pelo conflito do uso da água. 

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco é um órgão colegiado, integrado pelo poder público, sociedade civil e empresas usuárias de água, que tem por finalidade realizar a gestão descentralizada e participativa dos recursos hídricos da bacia, na perspectiva de proteger os seus mananciais e contribuir para o seu desenvolvimento sustentável. A diversidade de representações e interesses torna o CCBH do Rio São Franciscouma das mais importantes experiências de gestão colegiada envolvendo Estado e sociedade no Brasil.


Estatísticas