mãe

[Todos os domingos um dos textos que fiz para o Mãe com filhos é republicado nesta seção]

A pergunta fica mais fácil de responder depois que paramos por uns minutinhos para testar nossos conhecimentos. Fiz o quiz do Mãe com filhos sobre Bullying e fiquei pasma ao ver como as situações de bullying são próximas da nossa realidade.

Se há pouco tempo não era um termo habitual, hoje a expressão bullying vem ganhando espaço nas conversas de pais e educadores brasileiros, como foi no post É na escola que o bullying mais acontece e em As escolas públicas e privadas podem ser obrigadas a incluir no projeto pedagógico o combate ao bullying.  No entanto, como comentei sobre o caso da aluna que reclamou da professora no Facebook, o cyberbullying é uma ameaça virtual que ronda crianças e adolescentes ligados na internet. Na prática não há muita diferença do bullying offline: o objetivo é humilhar e ridicularizar colegas, só que usando comunidades, redes sociais, e-mails, torpedos, blogs e fotologs.

Pesquisas da empresa de segurança para internet Trend Micro informam que 1/3 dos jovens ativos na web já sofreram com algum tipo de cyberbullying. Dados da Safernet (em pesquisa divulgada em fevereiro de 2010) dão conta de que das crianças de 10 a 17 anos,  38% tem um amigo que passou por cyberbullying; 7% das crianças têm amigos que já lhe contaram ter passado por agressões e humilhações na internet e 16% delas consideram o cyberbullying um dos maiores riscos quando estão na internet.

Tem como evitar? Tem sim, veja as dicas de especialistas em segurança virtual para fugir das situções de cyberbullying:

  • Pense bem no que você posta: tenha cuidado ao divulgar informações pessoais, até mesmo com pessoas que você conhece ou mesmo em um email particular e conversa de texto. A informação ou conversa pode ser copiada e tornada pública por qualquer um que você tenha compartilhado, uma vez que na internet é bem difícil voltar atrás.
  • Quando estiver online, seja educado: haja corretamente no mundo online. Trate as pessoas como gostaria de ser tratado. Você pode aumentar as chances de sofrer cyberbullying sendo maldoso ou desrespeitoso com outras pessoas online.
  • Não revide: se alguém disser ou fizer algo online que você não gosta, a solução é ignorar ou bloquear totalmente essa pessoa. Revidar pode encorajar mais ameaças;
  • Conte os comportamentos ruins a alguém que você conheça: se alguém continuar a incomodá-lo (pela internet ou celular), conte aos seus pais, professores ou outro adulto em que você confie.
  • Conte os comportamentos ruins ao provedor de serviço: você também deve informar o provedor de email, celular, mensagem instantânea, rede social ou outro serviço online de que, por meio dele, você está sendo intimidado. Se o conteúdo for ilegal ou violar os termos do serviço, algumas vezes eles podem remover. Se o comportamento for extremo, eles também podem fornecer as informações da conta para as investigações de processos legais.
  • Guarde as evidências: se o comportamento continuar tornando-se cada vez mais extremo, peça ajuda a seus pais ou outro adulto para guardar as mensagens, imagens ou conversas ofensivas. Formas mais sérias de cyberbullying devem ser relatadas à polícia.
  • Não participe: mesmo se você for o alvo da intimidação, não participe, nem observe outra pessoa ou colega ser intimidado. Defenda a vítima e conte para seus pais, professores ou outro adulto que você confia para que providências sejam tomadas.

É bom lembrar que, além de vítimas, crianças e adolescentes podem ser os próprios agentes do cyberbullying, portanto pais e professores precisam ficar atentos, pois eles podem estar utilizando de maneira errada as tecnologias de comunicação das quais hoje têm acesso. E embora sejam menores de idade, os praticantes podem ser processados por calúnia e difamação, sendo obrigados a pagar indenizações às vítimas, dependendo da gravidade do caso.

O assunto é amplo e prometo voltarmos a ele, desta vez falando sobre exemplos do mau uso dessas ferramentas: tecnológicas. 😉

P.S. Sobre o teste de Bullying do site, eu fiz e olhem o resultado: Menos mimo. Você mima tanto seu filho, que ele é alvo de piadas por não saber se virar em diversas situações? Não tente resolver tudo por ele, as crianças devem aprender desde cedo a enfrentar algumas circunstâncias, faz parte do processo de desenvolvimento. Dê a ele a autonomia para pensar e resolver algumas coisas, e assim evitar que seja alvo de chacota na escola ou em qualquer outro grupo. Se notar algum comportamento estranho, converse com ele, procure entender o que está acontecendo, e ai sim interfira.

Você pode gostar também de ler:
  Esse texto é para você, que assistiu o filme e está fritando para ler
Aziz e Fatima Ansari em Master of None No mês das
A gravidez na adolescência teve uma queda de 17% no Brasil segundo dados preliminares do
Estudo comprova que a necessidade evolutiva de proteger o bebê expande habilidades das mães Uma
Ali Wong - Baby cobra Nesse final de semana vi "Ali
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas