Você ensina ao seu filho que não deve dar informações demais?

Camiseta do minigeek #aos8
"Para contar como estamos nos sentindo ou se gostamos de um filme, seriado, jogo ou restaurante não precisamos contar detalhes da nossa vida, não é mesmo?"

Na conversa com as crianças de 5º ano de escola fundamental sobre blogs profissionais, nesta segunda e terça, optei por tocar num assunto que não tinha relação com blog, mas sim com segurança e postura na web: as informações que passamos em nossos textos, em nossas conversas, em nossa troca do cotidiano. Ao conversar contamos, um pouco aqui, um tanto ali, detalhes que uma pessoa medianamente inteligente e atenta reune como um quebra-cabeças e pode chegar a montar um “mapa” da nossa vida.

Quando percebo este comportamento, em mim ou num interlocutor, eu logo penso: too much information. Não no sentido de que a pessoa está me passando “muitas informações”, mas sim “informações demais”, coisas que não são importantes para nossa conversa ou nosso relaciomento, mas que me dão um panorama de sua vida a tal ponto de deixa-la “transparente” ou “despida” diante de mim.

E como fazer?

Como mãe eu ensino a não contar o que não fará diferença para o entendimento. Como palestrante eu enfatizei com as crianças que deveriam ter este cuidado como um desafio para sua produção de texto, como se fosse um obstáculo numa corrida, uma dificuldade a vencer numa fase complicada de um jogo: não posso contar muito, mas preciso contar um pouco. E com aquela dica do lead – responder o que, quem, quando, como, onde e por que – respondendo com objetividade, já estamos com meio caminho andado. No mais é o cuidado básico de não dar informações pessoais a não ser que elas sejam imprescindíveis.

Aqui em casa ensino há anos que não pode passar informações de residência em formulários, nem contar detalhes da vida para estranhos, mas eles são inocentes, nunca se sabe. Uma vez, quando Enzo tinha recém feito 5 e Giorgio tinha 2, saí uns instantes do consultório da alergista e na volta ela me avisou que Enzo lhe dera todos os dados da gente (endereço completo, com CEP, telefones, tudo) para ajudar a fazer a ficha… avaliem!

Os formulários de pesquisa e promoções…

Outro dia recebi de uma amiga uma mensagem daquelas encaminhadas (que vocês tb já devem ter lido) e pensando bem, agora que #aos10 tem celular, achei que tem muito sentido passar para frente. Vendo meu filho que já está praticamente na idade de começar a ir ao shopping/cinema com amigos, eu penso que tem sentido, seria fácil levar as crianças neste papo.

Dentro dos Shoppings Centers há pessoas próximas às entradas dos cinemas fazendo uma suposta pesquisa com os jovens (algo “interessante”, como cinema, TV, um novo filme a ser lançado…).
Pegam então o nome, telefone celular, fixo e residencial, endereço, nome dos pais e discretamente anotam algumas características como as roupas, cor do cabelo, etc. etc. etc.
E em seguida pedem para não esquecer de desligar o telefone celular para não incomodar outras pessoas no interior do cinema durante a exibição do filme.
Depois que as pessoas entram no cinema, eles esperam alguns minutos, ligam para a pessoa que foi “entrevistada” para ver se o celular está mesmo desligado e, se estiver, eles ligam para a casa da pessoa.
O bandido diz o nome completo do seu filho ou parente (o que já assusta), as características como cabelo, estatura, roupas e diz ainda
“Ligue para seu filho, se acha que estou mentindo… o nº dele é 9XXX – XXXX?
Está desligado…
“(pronto, se ele sabe até o nº do celular de seu filho ou parente, só pode ser verdade)”..
E como um filme dura em média 2Hs, demora muito para você conseguir ligar e ser atendido. Aí você já está em pânico e pronto para fazer o que o bandido lhe pedir.

¨AVISO DE UM DELEGADO DE POLÍCIA¨
Isso não é boato e nem uma brincadeira, é fato verídico.
Instruam seus filhos e parentes a não responderem nenhuma entrevista ou pesquisa nas ruas e fornecer informações curriculares a não ser que sejam apenas diretamente para empresas.
Não coloquem Curriculum em sites da internet
Nunca desliguem os celulares.
Coloque-os em “silencioso”.
Em caso de cinemas, coloque-o para que simplesmente acenda a luz.
Assim saberão se algum parente está ligando… e lhe procurando.
O nível de inteligência dos bandidos está aumentando…
Temos que nos precaver cada vez mais.

E aí, na sua família, quais são as dicas para preservar seus dados pessoais sem deixar de conversar e se relacionar com as pessoas? Quais seus segredos como produtor de conteúdo?

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook