Visita à aula de artes do filho #aos8

Criatividade representa a emergência de algo único e original
(Anderson, 1965)

Descobri que hoje é Dia da Criatividade. E eu estou aqui para prestar uma homenagem a todos os criativos através do meu pequeno de 8 anos.

Há alguns dias estava conversando com a professora de Artes dos meus filhos e contei que escrevo sobre educação e cultura, falando sobre as conversas que tenho com os meninos sobre o que aprendem nas aulas dela, divagando sobre o valor de sensibilizarmos meninos (e meninas) ainda na infância para apreciarem a beleza da arte. Ela gostou do que eu falei – contando que Enzo tem me ensinado novos nomes de artistas e um jeito novo de interpretar a arte e que Giorgio adora instalações e criações modernas – ou se compadeceu de mim… mas o fato é que ela me deixou assistir a uma das aulas extracurriculares de artes.

O aconteceu foi uma emoção que muitos pais deveriam viver: vi meu pequeno, #aos8, sendo muito organizado, concentrado e criativo numa aula que me deixou cansada só de olhar, tamanha a produção da turma!

A ideia com a qual eles trabalham neste último mês é a de criar, com colagens, um Papai Noel brasileiro. A professora convida os pequenos (e nem tão pequenos, ao lado dos meninos de 7 anos vi mocinhas de 11 e 12 anos, convivendo numa boa com os menores) a pensarem no que um Natal Brasileiro vestiria. E eles criam livremente, tanto que meu filho pensou num Dragão Papai Noel… risos!

E para criar a professora deixou para as crianças vários elementos além do papel, cola bastão e líquida e os lápis que eles carregam todo dia: lantejoulas, purpurina, botões e tecidos diversos. Giorgio aproveitou quase tudo, cobrindo de dourado o dragão, usando papel crepom para árvore, criando um chão com um pedaço de jeans e nuvens com penas. Eu fiquei orgulhosa – e imaginem que nem vi a obra pronta, pois eles ainda vão ter mais duas aulas para terminar.

E vocês, pais, mães, tios e avós que me lêem, já passsam pela experiência de serem apenas visitantes nas atividades artísticas de seus pequenos? Contem como foi a experiência!

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook