entretenimento

Raffaello Sanzio - Ressurreição De Cristo

Ver obras de pintures renomados é sempre marcante e nos faz sentir mais próximos dos grandes mestres e das grandes mentes. Em Virtude e Aparência (A Caminho do Moderno), que reúne obras de Botticelli, Andréa Mantegna, Pietro Perugino, Bellini, Rafael, Tintoretto, El Greco, Bosch e Dornicke, entre outros, o MASP nos oferece uma reunirão ímpar. São 46 obras do século XIII ao XVIII dispostos em quatro grupos: “Pré-Renascença” “Primeiro momento moderno”, “Mais drama, mais ação” e “À superfície das coisas”.

A reunião de obras mostra o momento em que a separação e o conflito instalam-se na arte ocidental e dos instantes logo posteriores, quando as aparências se afirmam e se caminha para o moderno. A arte renascentista e moderna, por terem surgido na história da humanidade com a força do Iluminismo (movimento que sempre me encantou por trazer a luz de volta às artes e ao pensamento ocidental e significar uma abertura de consciência em muitos sentidos), é uma das mais conhecidas do grande público. Suas obras são as mais famosas e facilmente reconhecidas e, talvez, sejam também à primeira vista as mais “digeríveis”. Mas se olharmos com atenção, elas guardam em si uma profundidade de valores, opiniões e ranços da sociedade européia que nos ensinam muito sobre a evolução da humanidade. Sempre gostei de observar através da arte (artes plásticas, música e literatura) os avanços e retrocessos da humanidade, em reflexões meio amalucadas (do pensar out-of-the-box que geralmente envolvem nossos brunchs domingueiros em familia. E os passeios pelo MASP são um prato cheio para este repensar.

Para quem gosta de parâmetros para a reflexão, o curador do museu, Teixeira Coelho, afirma que

“nesta exposição estão presentes duas linhas de força da história da arte ocidental. A primeira se traduz na idéia de que, ao olhar-se para uma obra, era preciso ver além do que estava nela representado. Como John Ruskin insistia no século XIX, entregar-se à imitação, insistir no valor da arte por sua capacidade de reproduzir as coisas tais quais era pouco e vulgar; os prazeres desse olhar primário estavam entre os mais desprezíveis. Na arte de tema religioso, essa linha está presente: a beleza de uma madona não reside tanto (ou nada) no que se vê na tela, mas num outro plano, além ou superior, acessível apenas ao intelecto. A virtude da obra estava em grande parte fora dela, talvez acima dela. Há virtudes visíveis, sem dúvida, como a perícia do artista. Mas a principal delas ficava além do visível. São exemplos dessa linha obras do século XIII como a Madonna, do Maestro Del Bigallo, além das de Rafael, Bellini e Botticelli.

Ao lado dessa arte, porém, para atender a outras necessidades da aristocracia e da burguesia nascente num mundo em transformação, surge no século XVI uma outra voltada para as aparências em todos visíveis. Entre essas, a nascente arte da paisagem e do retrato. Virtudes imateriais ainda existem, mas as aparências da tela começam a predominar são, mesmo, essenciais. Tudo está à superfície das coisas e o prazer consiste em vê-las, a exemplo do que se vê nas telas de Metsys, Boucher e Fragonard representando cenas do dia a dia ou aquelas cuja beleza maior está no equilíbrio entre as cores da pele e dos tecidos das personagens.”

Serviço:

  • O que: Exposição Virtude e Aparêccia a caminho do moderno
  • Onde: MASP – Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (Av. Paulista, 1578 – Cerqueira César – São Paulo – SP)
  • Quando: terça-feira a domingo e feriados, das 11h às 18h; quinta-feira até 20h.
  • Quanto: ingressos a R$ 15 (inteira) e R$ 7,00 (estudante), gratuito para menores de 10 anos e maiores de 60 anos. Terça-feira tem entrada gratuita até as 18:00 horas
  • Informações: (11) 3251 5644

Maestro Di San Martino - Virgem Com Menino Jesus

Quando vimos esta obra no MASP com os meninos, foi impressionante notar como eles não são aculturados sobre os santos e a santificação dos personagens bíblicos. Somos cristãos, mas não somos iconoclastas e as imagens que na minha infância eram comuns nas igrejas e nas Bíblias ilustradas não eram conhecidas deles. Vi a mesma reação em outras crianças, o que me levou a algumas reflexões que merecem um post!

😉

Ottaviano Nelli - Madona Com O Menino Entre Santa Madalena E Santo Estevão

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas