#viradacultural 2011

“Quem não mora em São Paulo ou não é ligado ao universo cultural possivelmente nunca ouviu falar da Virada Cultural, mas eu, que mudei para cá no ano da segunda edição, fiquei encantada! Tentem imaginar 24 horas ininterruptas de música, cultura e arte sem cobrança de ingressos e que acontecem perto de estações de metrô e CPTM. Pois inclua neste delírio o funcionamento do transporte urbano durante a madrugada. Este dia de cultura acontece anualmente em São Paulo, é a Virada Cultural.”

virada cultural foto de sam shiraishi todos os direitos reservados
"Em 2005, no CCSP, o filhote (então #aos4) brincando com o cenário de parte da Segunda Virada Cultural"

Embora a gente more em Sampa mais ou menos desde que tem Virada Cultural, foi só em 2009 que nos encorajamos a aproveitar com as crianças. No ano passado fomos ao centro velho da cidade, região tradicionalmente perigosa, congestionada e desorganizada, mas que ficou muito mais “nossa” com o policiamento ostensivo e as múltiplas atividades que aconteciam, literalmente, a cada esquina, como estes grupos que vimos na região do Vale do Anhangabaú.

A produção de imagens é quase uma obcessão para alguns na Virada Cultural. A gente vê e ouve tanta coisa incrível ao mesmo tempo que não resiste e quer registrar parte do que nos encanta, nos surpreende e até o que nos choca. Pois neste ano vi que o SESC terá uma ‎Virada em Imagens, uma proposta que permite ao público contribuir com a sua perspectiva sobre a Virada Cultural nas unidades do Belenzinho, Consolação, Pinheiros, Interlagos, Santana e Itaquera.

Todas as imagens farão parte de um grande banco de imagens online no Flickr – o Virada em Imagens – que vai ser alimentado em tempo real para projeções em telas, paredes ou fachadas das unidades. Se se você não tem 3G, pode aproveitar a internet livre das unidades do SESC Santana e SESC Belenzinho das 18h de sábado às 17h de domingo – e nas demais unidades vale consultar informações na Internet Livre.

Neste ano eu pretendo aproveitar a Virada Cultural na Mooca. Já que parte da programação vai estar aqui pertinho, onde posso ir sem precisar de bike ou carro, vou aproveitar. E eu aprendi que só definindo uma área de interesse ou região da cidade a gente consegue aproveitar parte da intensa programação. Visite o site do evento e encontre o que mais lhe agrada – e para quem como eu, acha a lista meio confusa, vale baixar o PDF com a programação que está disponível para download aqui.

A 7ª edição da Virada Cultural acontecerá nos dias 16 e 17 de abril, com início às 18 horas do sábado. São 24 horas ininterruptas de programação, com mais de mil atrações gratuitas espalhadas por diversos palcos da cidade, numa realização da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo em parceria com o SESC e a Secretaria de Estado da Cultura, e adesão das mais importantes instituições culturais da cidade.]

E o que considero imperdível:

A chance de mostrar ópera para as crianças: Pagliacci será encenada em praça pública com a Orquestra Sinfonica Municipal e o Coral Lírico, as cias Visualfarm, Fratelli e Pia Fraus, técnicos e criadores do corpo municipal.
E o Sepultura se apresenta com a Orquestra Experimental de Repertório, sob regência de seu titular, Maestro Jamil Maluf. Vale muito também ver a São Paulo Companhia de Dança que dançará ao som da Osesp (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) e a OCAM da USP que comemora 70 anos de Frank Zappa.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook