VIM para UNICEF: todos juntos na luta pelo saneamento

vimparaunicef no avidaquer

No mês passado recebi um convite que muito me honrou: participar de uma conversa em petit-comité com o representante do UNICEF no Brasil, Gary Stahl, e o presidente da Unilever, Fernando Fernandes, para uma conversa com jornalistas sobre o projeto VIM para UNICEF.

O trocadilho do nome da campanha é para contar que a marca de produtos de limpeza Vim (a marca de cloro em gel da Unilever) passa a apoiar um projeto já antigo do UNICEF (Fundo das Nações Unidas para Infância) que faz aqui no Brasil um trabalho de orientação das prefeituras e secretarias municipais que nós deveríamos ter sem precisar deles. Há mais de dez anos o Unicef fomenta no Brasil uma nova consciência pública acerca do saneamento básico através do selo “Município Aprovado”, que mostra para as cidades inscritas diversas formas de buscar recursos para combater velhos problemas brasileiros como evasão escolar e altos índices de mortalidade infantil.

Para fortalecer essa missão surgiu a campanha  que nasce digital e não tem data para terminar. A proposta é convencer a população a encampar o tema “saneamento básico” como uma das questões que devem ser prioritárias para o desenvolvimento da nação.

– Imaginem que existem no país mais de 450 mil meninos e meninas que estudam em escolas sem as mínimas condições de higiene. Sem banheiro ou com banheiros sem condições de uso.
– O que fazer? Reclamar para o governo? Cobrar verbas?
– E se as verbas já existissem, mas governantes locais não soubessem como usar?
– Nesta hora toda ajuda é bem vinda! De entidades como Unicef, de empresas como a Unilever e de gente como eu e você.
– O que não podemos é permitir que a realidade de meio milhão de brasileirinhos continue assim!

E como na campanha “É da nossa conta!” #semtrabalhoinfantil, eu estou oferecendo o @avidaquer como espaço para falar do tema e divulgar dados, buscando sensibilizar as pessoas e assim forçar municípios e escolas a mudarem esta realidade.

Está ao nosso alcance mudar.

Conheça a história de milhares de crianças que vivem no semiárido brasileiro, e que como você, não gostam de usar banheiros impróprios, mas infelizmente não têm outra opção.

“Quando uma criança tem acesso a água de qualidade e saneamento adequado em sua escola, criamos condições para que outros direitos fundamentais sejam assegurados. Ela será uma criança com mais saúde, dignidade e melhores condições de aprender. O impacto não se dá apenas sobre ela, mas também sobre a família e a comunidade onde vive.”
(Gary Stahl, Representante do UNICEF no Brasil)

“Quando uma criança tem acesso a água de qualidade e saneamento adequado em sua escola, criamos condições para que outros direitos fundamentais sejam assegurados. Ela será uma criança com mais saúde, dignidade e melhores condições de aprender. O impacto não se dá apenas sobre ela, mas também sobre a família e a comunidade onde vive”, afirma Gary Stahl, Representante do UNICEF no Brasil.
“Sabemos que melhorar o saneamento em todo o mundo é um grande desafio, e a situação não é diferente no Brasil. Em parceria com o UNICEF, percebemos que uma das regiões em que o problema é mais crítico é no Semiárido, onde indicadores de educação e saneamento básico estão totalmente ligados. Existe um grande número de crianças sem acesso a água e saneamento nas escolas e isso tem comprometido sua saúde, seu desenvolvimento e sua aprendizagem.” (Fernando Fernandez, presidente da Unilever Brasil)

A parceria é global, entre a marca Vim, por meio da Fundação Unilever, e o UNICEF, que tem colaborado com a melhoria do saneamento para milhares de pessoas em regiões onde o acesso a ele é crítico ou inexistente. Ela garante que Vim apoiará a realização do Selo UNICEF Município Aprovado, que, pela primeira vez, terá o acesso ao saneamento como uma de suas prioridades. O Selo UNICEF Município Aprovado é um reconhecimento internacional que as cidades podem conquistar pelo resultado dos seus esforços na melhoria da qualidade de vida de crianças e adolescentes.

A atuação do UNICEF nesta área está integrada ao Protocolo de Intenções que o Fundo tem com os ministérios da Integração Nacional e de Desenvolvimento Social, para garantir que toda escola pública na região do Semiárido tenha água de qualidade e instalações sanitárias adequadas. A entidade reforça a importância de se trabalhar com todos os níveis de governos, federal, estadual e municipal, com empresas, a sociedade civil e com cada cidadão para conseguir melhorar a vida de nossas crianças que vivem no Semiárido.

E como discutir? O jeito é mesmo concordar e, acima disso, apoiar e divulgar!

selo_unicef municipio aprovado

 

Veja aqui como participar do Selo Unicef e como você pode ajudar a sua comunidade:

O prefeito municipal deve assinar um termo de adesão e garantir o funcionamento do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e caso o município não tenha um CMDCA ativo, oferece-se um prazo, a contar do prazo final das inscrições, para apresentar a lei de criação do conselho e a ata da primeira reunião.

(E vamos combinar, criar o CMDCA já é um motivo muito nobre para estimular seu município a participar do selo!)

Em seguida, os municípios são agrupados, de acordo com sua realidade sócio-econômica, e nesta edição são avaliados a partir de três eixos: Impacto Social; Gestão de Políticas Públicas e Participação Social. Nos eixos de Impacto Social e Gestão de Políticas Públicas, os municípios devem trabalhar para avançar em um conjunto de objetivos e indicadores, que serão analisados no início e no final da edição do Selo. Já o eixo de Participação Social envolve a realização de fóruns comunitários e o desenvolvimento de atividades e projetos em três temas: Educação para a Convivência com o Semiárido; Cultura e Identidade: Comunicação para Igualdade Étnico-racial e Esporte e Cidadania.

O Selo UNICEF Município Aprovado é um reconhecimento internacional que o município pode conquistar pelo resultado dos seus esforços na melhoria da qualidade de vida de crianças e adolescentes.

A partir de um diagnóstico e de dados levantados pelo UNICEF, os municípios que se inscrevem passam a conhecer melhor sua realidade e as políticas voltadas para infância e adolescência. Com dados concretos e participação popular, o município tem condições de rever suas políticas e repensar estratégias de forma a alcançar os objetivos buscados, que estão relacionados aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook