Prévia no Twitter do debate de educação financeira e consumo consciente no universo infantil

“Numa sociedade de consumo, como escolas e pais podem educar as crianças para uma vida financeira saudável?”

Estarei hoje nos estúdios onde acontecerá o videochat que debaterá, com especialistas, a educação financeira e o consumo consciente no universo infantil. Foi uma honra receber o convite do Grupo Santander para representar os blogs neste tema e eu estou animada com a possibilidade de reflexionar em conjunto e receber orientações sobre o assunto, que me é muito caro, num espaço que estará aberto para participação de todos pela internet.

Achei legal também o fato de o horário ser bem razoável – os outros videochats eram pela manhã ou no horario de almoço – porque à tarde no geral as crianças estão na escola e as mães da blogosfera poderão participar com mais tranquilidade. Conto com você no nosso debate online, é só se cadastrar aqui e dar sua opinião ou mandar suas perguntas no chat que estará aberto no canal onde o debate será transmitido pela internet.


videochat sobre educação financeira e consumo consciente no universo infantil

Este tema é para pensarmos e se possível coletivamente, não é mesmo? Pois eu lancei a pergunta no Twitter nesta manhã e li coisas ótimas!

E no melhor estilo web 2.0, teve resposta do Brasil todo e até de Portugal:

@retorta contou como funciona o sistema em sua família há 20 anos:

Consumo responsável é um assunto para toda a familia mesmo.
A maior responsabilidade cabe aos pais, devem eles mesmo ter hábitos de controlar os gastos e desde cedo transmitirem os mesmos.
O hábito de instituir uma quantia razoável (não misera, nem exagerada) que “obrigue” as crianças a poupar para despesas maiores.
A combinação de hábitos de consumo sustentáveis e de responsabilização dos filhos desde cedo pode ser muito eficaz.

@lauritabruxinha, lá de Pernambuco, contou

Os meus tem mesada e tem q comprar o q querem com ela e aprenderam q juntando podem comprar algo mais caro =D
desde pequenos eu dizia: vc´s tem R$ 5,00 para comprar o q quiserem em uma loja por ex e eles foram aprendendo com o tempo.
tb ensino q não precisamos de muito para viver bem e feliz. Acho q venho fazendo um bom trabalho – eles ñ são consumistas =D

@lubentenson, de Ribeirão Preto (SP)

primeiro passar valores: “nós pais não compramos tudo o que queremos… tb passamos vontade, precisamos guardar para o futuro”
digo para eles que “sempre vai haver alguém que tem mais do que vocês, e alguém que tem menos, e isto não é o mais importante”
“mais importante o que você É do que o que você TEM”
na prática: meus filhos têm mesada (1 real por ano de vida por semana – o de 7 anos ganha 7 reais por semana)
são estimulados a poupar, poupam; não dou presentes fora de hora, etc., é tudo com a mesada

@montmello pai em gestação de Brasília

como um ser humano em preparação para a paternidade creio na força do exemplo, demonstrar no dia-a-dia a supremacia de valores.
desejamos q nossos filhos componham uma sociedade mais humana, solidária e sustentável.

@ericmessa, professor universitário e filho de um dos pensadores em educação que eu admiro (@maosdadas, o terapeuta Carlos Messa, de O poder dos pais no desenvolvimento emocional e cognitivo dos filhos)

os pais podem ser exemplos p/ seus filhos e poupar $50/mês para garantir a faculdade e ter uma economia familiar saudavel.

@fiodeariadne, mãe carioca e advogada

Educar para uma vida plena e não para satisfação imediata que o consumismo dá deve ser uma preocupação.
Crianças preparadas não cairão na armadilha do consumo. Em nossa sociedade devemos consumir para viver e não viver para consumir.

@donalilian, designer paulistana e “tia” empenhada

talvez ensinando a criança a ter dinheiro, e a juntar. Tipo combinar uma mesada, mas separar metade dela pruma poupança.
mesmo que a mesada seja, sei lá, 20 reais por mês e vc separe 10.
daí no fim do ano pega parte dessa poupança e deixa a criança escolher algo que ela queira.

@lilianeferrari, produtora cultural e mãe de Luisa, de 3 anos

Luisa já tem seu porquinho. Já sabe q p comprar qquer coisa custa $.

@mariaceschini, Relações Públicas de Araraquara (SP)

Meu filho tem mesada e está na quinta série, e por escolha dele leva lanches de segunda à quinta e na sexta compra na cantina.
desde pequeno aprendeu a escolher entre o que deseja: um kinder ovo ou a Revista Recreio? e medir o custo benefício da escolha.
e a partir deste ano, o que perde (por descuido) do material escolar repõe com a mesada. (adorei esta parte, admito)

@paulamendonça

Ensinando que não se pode ter tudo o que se quer imediatamente.É preciso entender o que é necessário e o que é supérfluo.

@juvilela, de designer e mãe de Brasília

O Gabriel tem o $ dele, sabe que vai receber X por mês e faz a opção de guardar para algo maior ou gastar com algo que queira logo. Geralmente ele guarda e se houver comentário perto dele que precisamos comprar algo, ele pergunta se queremos o dele emprestado com a condição de pagar qdo ele for comprar a tal coisa desejada, acho tão bonitinha essa atitude, digo que se precisar pediremos.

@ratobibioteca, tradutora e artesã de Mogi das Cruzes (SP)

a educação financeira deve começar desde cedo, as crianças devem saber o quanto custam as coisas e que os pais não podem nem devem comprar tudo; nada de ‘papai noel vai dar o presente’, é bom saber de onde vêm os presentes. Aqui em casa deu certo.

@debydd, mãe coruja paulista que eu conheci no #portocainarede

O consumo infantil em excesso leva a criança achar que pode tudo, desde pequeno devemos controlar os excessos

@tamirisriani, publicitária de Cuiabá

a educação é um conjunto, deve-se educar uma criança em todos os sentidos, mas antes de tudo, separar o que é da escola e o q eh de ksa, a escola deve ser um complemento do q os pais educam. na questão financeira, a mesada em si é uma boa saída pois a criança deve ser consciencia que ela tem apenas aquele dinheiro no mês para gastar com lanche, diversão, etc. ela deve controlar seus gastos, e os pais devem ser firmes na sua posição no quesito, acabou o dinheiro, só mês que vem assim a criança aprende a sr independente e ao mesmo tempo aprende a controlar seus gastos. não sei se ajudei, mas penso assim.

Agradecimentos também ao @OlicioPelosi, @loriangelstore e @Eli_DFR que retuitaram e divulgaram no twitter!


Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook