Xô varizes! Dicas para evitar doenças e deixar as pernas livres de qualquer inchaço ou sensação de peso

Quando era criança uma das maiores reclamações que ouvia das mulheres da família era relacionada às varizes. Minhas avós sofreram muito com elas e acostumei a fazer massagem para aliviar o desconforto delas, em especial da Vó Maria, que tinha sobrepeso e (mesmo 22 anos mais nova) sofria bem mais do que minha vó japonesa. Mas nem a pequena e ágil Batian passou sem este incômodo, possivelmente menos genético do que circunstancial no caso dela, pois foi agricultora durante décadas e teve 10 gestações, sendo que meu pai, o nono filho (sétimo a sobreviver), nasceu quando ela tinha 40 anos.

Eu ouvia falar de operação para “secar as varizes” e acho até que minha mãe pensou em fazer (ou fez), mas, depois que a cantora Clara Nunes morreu numa cirurgia assim, o trabalho de prevenir e não remediar passou a ser mais citado. Foram estes casos que me fizeram cuidar muito das pernas nas minhas gestações. Usei meias de compressão para grávidas durante todos os meses, mesmo no calor, o que me rendia um conforto para dormir porque as pernas estavam descansadas quando eu tirava as meias. Mas isso foi em Tokyo e em Curitiba, locais de clima temperado e com gestações em meia estação.

Desta vez, em São Paulo, ainda não consegui pensar em usar meias! Mas as dores e um pouco de inchaço nas pernas ao final do dia já me alcançaram e como sei que são queixas frequentes das mulheres, o tema vale um post nas Segundas de Saúde do @avidaquer.

É importante começar reforçando que, apesar de comuns, cansaço e inchaço, quando acompanhados da sensação de queimação e formigamento, podem ser sinal de alerta para problemas no sistema circulatório.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças venosas comprometem cerca de 17% da população, sendo a maioria mulheres devido às questões hormonais. Apesar de a hereditariedade ser um fator inalterável, a prática de atividade física e hábitos alimentares saudáveis podem estagnar e até retardar o aparecimento de doençasque comprometem o aspecto das pernas. O sistema circulatório que compreende o sangue, o coração e os vasos sanguíneos é responsável pelo fornecimento de nutrientes e de oxigênio para as células e tecidos corporais. De acordo com o angiologista Ary Elwing, nem tudo é culpa da genética.

“Problemas no sistema circulatório são hereditários, porém obesidade, sedentarismo ou permanecer muito tempo em pé ou sentado, fazer força excessiva ou usar hormônios femininos, incluindo os anticoncepcionais, são fatores que podem desencadear alguma doença venosa”.

Conheça os três vilões que podem alterar o aspecto da perna e provocar uma série de danos:

Insuficiência venosa:

As varizes são inimigas das pernas e são caracterizadas pela dificuldade de retorno do sangue das pernas ao coração, provocado pela falha das válvulas venosas que dirigem o fluxo sanguíneo nesse sentido. Podem surgir em qualquer fase, mas geralmente se manifestam na puberdade. As varizes iniciam com uma sensação de peso nas pernas, dor, cansaço, comichão e câimbras. As veias dilatam e deformam se tornando visíveis e de aspecto sinuoso. Dependendo da gravidade, podem deixar de ser um problema estético e causar sequelas graves como feridas na perna com cicatrização difícil, as úlceras varicosas.
As causas ainda não são claramente identificadas, mas os fatores hereditários desempenham um papel importante no desenvolvimento da doença. Obesidade, gravidez, tratamentos hormonais e profissões que exigem longos períodos em pé ou sentado podem desencadear o problema.
Para evitar é fundamental começar a eliminar os fatores de risco ou, pelo menos, minimizá-los. Converse com familiares e procure saber se sofrem com a doença venosa, se a resposta for positiva, os cuidados devem ser reforçados. Neste caso, procure um angiologista para realizar um diagnóstico e identificar o grau da doença para indicação do tratamento mais adequado. Além disso, manter hábitos saudáveis pode retardar o seu aparecimento. Pratique exercícios físicos como bicicleta, natação ou hidroginástica e cuide da sua alimentação.

Isquemia Crônica

Essa patologia é mais frequente em pessoas com idade entre 40 e 50 anos. A dor se manifesta geralmente quando o paciente esta caminhando e é uma dor forte que obriga o paciente a ficar parado alguns minutos para poder andar novamente o mesmo espaço ate aparecer de novo , esse processo repetitivo é chamado de claudicação intermitente. A isquemia crônica acontece quando o sangue deixa de ser suficiente para irrigar os tecidos dos músculos, diminuindo a sua oxigenação.
Pode ser desencadeada por aterosclerose que entope as artérias ou Diabetes que causa fibrose da artéria tornando-a muito afunilada e atacando os capilares. Como evitar: mantenha uma alimentação saudável sem gorduras, cuide da higiene dos pés, caminhe sempre, controle o colesterol e pare imediatamente de fumar.

Doença do sistema linfático

O que é: as pessoas que apresentam essa doença têm menor circulação da linfa pelo corpo. Como a linfa fica mais estagnada, uma parte do líquido sai de dentro para fora do vaso linfático, ficando acumulado debaixo da pele. Por esse motivo, ocorre os inchaços nos pés, tornozelos e pernas. Quando o linfedema aumenta, pode causar dor local, deformidades e dificuldades para movimentar as pernas e braços. A causa: pode ser congênita ou adquirida por infecções dos vasos linfáticos.
O tratamento é feito por meio de medicamentos que promovem a contração dos capilares linfáticos. Além disso, manter a higiene dos pés é uma maneira de evitar infecções e feridas.

E o que vale para todo mundo…

Para evitar doenças e deixar as pernas livres de qualquer inchaço ou sensação de peso:

  • Mexa-se: Caminhe, suba escadas, ande pelo escritório e em casa. Evite ficar muito tempo sentado ou em pé para evitar dor e inchaço. 
  • Relaxe as pernas: depois de um dia cansativo, relaxe as pernas com um banho frio. Evite a exposição prolongada ao sol. Banhos quentes ou saunas podem provocar dilatações das veias e induzir o inchaço.
  • Eleve as pernas: para ajudar o retorno do sangue venoso, eleve suas pernas ao sentar-se no sofá ou quando for se deitar.
  • Mantenha seu peso: Procure adotar uma dieta saudável para evitar o excesso de peso. Não alterar muito radicalmente os ponteiros da balança suaviza os sintomas e os inchaços das pernas.
Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook