destaque / sustentabilidade
Greenpeace abre as portas a parceiros para mudar o mundo

Eu estou de preto no canto esquerdo, abraçada com Gui, prontos para mudar o mundo e, além disso, dar exemplo!

Começamos dezembro assim, no meio desta galera, conhecendo a sede do Greenpeace e fazendo um compromisso muito pessoal de mudar o mundo. Eu e meu marido atendemos a um convite que a organização internacional fez a artistas, atletas, influenciadores das redes digitais e formadores de opinião para se reunirem no escritório deles, numa terça-feira comum, dia 08/12, para podermos nos conhecer, conversar e principalmente conhecer a história, forma de atuação, campanhas em desenvolvimento e projetos para 2016.

"Semeie uma ideia. Coloque suas ações onde estão suas palavras. Liberte-se do poder." Essas regras faziam parte do documentário "Como mudar o mundo", que vimos na noite passada na sede do Greenpeace Brasil

Eu e Aline, do Inspiração Sustentável, no final do evento na sede do Greenpeace 😉

Na adolescência já estive em reuniões do Greenpeace como ouvinte e como voluntária, fui curiosa para saber como eu poderia ajudar e afinal que olhar eles teriam para “uma tia na faixa dos 40” como eu.

Foi uma descoberta interessante. Cheguei junto com a modelo Yasmin Brunet e o ator Paulo Vilhena, o que, vejam só, não fez grande diferença nem para mim, nem para eles. Cada um (ou seu par/grupo acompanhante) foi recebido por um membro do Greenpeace como se fossemos visitas na casa deles. As pessoas se apresentavam, contavam do trabalho, do que mais gostavam, mostravam nas fotos que estavam em exposição o que já tinham visto/feito/admirado, nos levavam para conhecer a casa (com uma pausa para ver parte de uma sessão com filmes deles) e depois íamos festejar na “balada” montada no “quintal” deles,  um terreno bonito numa casa com edícula construída num terreno de declive, o que criou um “porão” que é onde os escritórios ficam. Tudo uma simpatia, tudo com cara de ONG e ao mesmo tempo tudo aquilo que visualmente a gente relaciona ao movimento deles. Foi lá que encontrei com os amigos blogueiros Renê Silva (do Voz da Comunidade) e Claudia Chow (do Ecodesenvolvimento).

Ontem teve invasão #vivapositivamente no Greenpeace, numa noite memorável em que a organização abriu as portas para…

Posted by Sam Shiraishi on Quarta, 9 de dezembro de 2015

Quem mais estava lá?

Pitty, Joanna Maranhão, Felipe Andreoli, Yasmin Brunet, Paulo Vilhena, Alessandra Negrini e Caco Ciocler foram alguns dos que participarem dessa “imersão”.

Vamos Mudar o Mundo

Perguntei a Bruno Weiss, coordenador de comunicação, e a Renato Guimarães, responsável pelas estratégias de engajamento, o que estes artistas representariam, pois eu tinha ouvido termos como greener e seeder nas conversas. Eles explicaram que são “termos internos” e que não há diferenças públicas entre os envolvidos no projeto, num discurso (que espero ser real) de que “todos são parceiros fundamentais para que as causas, valores e campanhas do Greenpeace atinjam mais e mais gente”.

Como a gente esteve o tempo todo envolvido na ideia (e usando a hashtag #vamosmudaromundo) resolvi confirmar se era uma campanha. Bruno garantiu que “não se trata de uma campanha”, O evento #vamosmudaromundo foi mais uma etapa do projeto para promover ciclos de engajamento e imersão na organização. E que “é um projeto de relacionamento da organização para ampliar o alcance de suas mensagens e diversificar sua audiência; os parceiros podem se tornam embaixadores da organização ao longo de atividades de campanha e institucionais para criar ciclos de engajamento e promover uma espécie de “imersão” nos conteúdos do GP”.

 

Confesso que para mim funcionou, criou empatia e simpatia termos podido conversar longamente, sem correria nem cortes, com os coordenadores de campanha e ativistas e, em primeira mão, assistir ao filme  “How to Change the World”, documentário sobre a origem da organização, com previsão de lançamento público para o ínicio de 2016.

Antes do filme participamos da foto “Vamos mudar o mundo”, expondo a mensagem em um grande banner aberto na rua, um que a gente fez, pois cada um que chegava era convidado a colar um quadrado num banner que depois descobrimos que se tornaria a grande defesa do evento.

 

Ontem teve invasão #vivapositivamente no Greenpeace, numa noite memorável em que a organização abriu as portas para…

Posted by Sam Shiraishi on Quarta, 9 de dezembro de 2015

Ontem teve invasão #vivapositivamente no Greenpeace, numa noite memorável em que a organização abriu as portas para…

Posted by Sam Shiraishi on Quarta, 9 de dezembro de 2015

Agora o que muito gente me perguntou: é possível ver o documentário fora do cinema? Está disponível no YouTube, por exemplo? Não, mas tem previsão para entrar no Netflix no começo de 2016.

Você gostou e queria conhecer também? Bruno me disse que podem marcar algumas visitas, claro, mas não há estrutura para manter essa atividade na rotina por enquanto. O jeito é fazer contato com eles por site ou telefone e tentar agendar!

12310589_918749841495056_2762965347924605964_n

Você também pode se unir a este grupo de atletas e artistas engajados. Junte-se a nós e #vamosmudaromundo, acesse: www.vamosmudaromundo.org.br

P.S. E se você quer se engajar mais e se tornar voluntário, pode se informar com Paula Collet, coordenadora da área.  😉

The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas