Vamos ao Sítio do Picapau Amarelo?

No geral, quando se fala em cultura e infância, a primeira lembrança de muitos recai sobre Monteiro Lobato e o Sítio do Picapau Amarelo. Eu era tão fã deles que minha vida girava em torno do horário para ver a “novelinha” na TV e as primeiras leituras infantis que fiz, com minha mãe ou não, foram naquela coleção antiga que muitos lares e escolas tinham. Outro dia, na volta de uma viagem a trabalho, comprei para meu filho um dos clássicos que eu achava que todo menino tinha que ler: Caçadas de Pedrinho. Já em versão mais moderna, o livro tem a mesma ternura e encanto que agradou várias gerações.

A adaptação mais conhecida e exportada para o mundo das histórias de Narizinho, Pedrinho, Emília e Visconde de Sabugosa todo foi a da Rede Globo, exibida de 7 de março de 1977 a 31 de janeiro de 1986. Os bonecos eram todos brasileiros criados por Rui de Oliveira e Marie Louise Neri. A trilha sonora foi dirigida por Dori Caymmi e era formada por temas essencialmente nacionais, ressaltando a mitologia e o folclore, com destaque para o tema da abertura composta por Gilberto Gil, “Sítio do Picapau Amarelo”.

Quem não sonhou em ir ao Sítio? Pois segundo li, agora tem um Sítio do Picapau Amarelo perto de São Paulo (em Mariporã, região metropolitana da capital). Não fui ainda conferir, mas li que os organizadores prometem “um lugar onde crianças poderão entrar em contato com os personagens de Monteiro Lobato de forma lúdica e interativa”, contando com espaços temáticos como a Casa da Dona Benta, Laboratório do Visconde, Gruta da Cuca, Horta da Tia Nastácia e Cabana do Tio Barnabé.

Consta que, para incentivar a leitura, o local tem também o Museu e Biblioteca de Monteiro Lobato. Construído em uma área arborizada de cerca de 20 mil metros quadrados, com 25 apartamentos e 132 leitos, o espaço temático tem ainda refeitório, piscina, campo de futebol e anfiteatro, e está apto a receber pelo menos 100 crianças por vez. O projeto foi concebido para trabalhar com grupos fechados, por isso as visitas devem ser previamente agendadas por escolas e instituições.

E se você encara uma viagem mais longa, sempre vale visitar o Museu Histórico e Pedagógico Monteiro Lobato em Taubaté, interior de São Paulo e cidade natal do escritor. O Museu, que funciona de terça a domingo das 9 às 17h,  conta com monitores (caracterizados como personagens da obra) que atuam de forma a estimular a leitura e o conhecimento dos visitantes sobre sua vida e obra. Segundo os organizadores, os grupos que quiserem passar o dia no Sítio poderão aproveitar a oportunidade para conhecer o Horto de Taubaté , com área verde, lago, minizôo e um Centro Educacional Natural Biológico.No local há também um teatro infantil , baseado na literatura de Monteiro Lobato, mas as excursões deverão ser agendadas com 15 dias de antecedência pelo telefone anunciado no site.

Que tal, não é um passeio com gosto de infância? E para quem está fora de São Paulo, fica a dica: revejam os vídeos, leiam os livros e comparem com seus filhos as diferentes infâncias dos netos de Dona Benta, dos pais e filhos atuais. Será um papo muito divertido, tenho certeza!

E para os saudosistas, incorporo no post vídeos dos queridos personagens:

Sitio antigo:

Novo sítio:

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook