casa

Chai :-)

Outono começou, por aqui tem estado fresquinho e não raro úmido, com aquela garoinha que judia da gente quando saímos à rua. Na volta para casa (ou na pausa na cafeteria no meio das reuniões de trabalho) eu me entrego aos meus queridos chás.

Amo muitos tipos, sendo Earl Grey e English Breakfast os meus favoritos. Mas nesta época de meia estação que caminha para o frio, talvez pelo jeito intimista que nos leva ao acolhimento (para mim o outono tem isso, um quê de se voltar para a interioridade e se preparar para o inverno), eu optado pelo Chai Indiano.

[Isso mesmo, aquele que ficou tão popular com a novela Caminho das Índias 😉 ]

A receita pode variar de acordo com a região ou a família, mas a base principal é a mesma, ou seja, chá preto, leite e uma mistura de especiarias, como gengibre e canela. Eu gosto muito da receita que leva também anis estrelado e cardamomo, que reforçam o sabor oriental e, como diz meu filho #aos10, deixa o chá quente refrescante como o gelado. E a vantagem do Chai é que, como o chá mate, chá preto e chá verde ele pode ser consumido quente ou gelado, sendo uma bebida com a qual nos adaptamos facilmente e que pode ser consumida sem nenhum açúcar.

E, ao contrário daqui do Brasil onde os chás de ervas medicinais (como camomila, hortelã, erva cidreira) nos remetem à boa digestão e ao efeito calmante, o chá indiano é como nosso café: serve para nos manter alertas, acordados, ativos. E esta história é de chá e trabalho é longa: “os trabalhadores das novas fábricas do século XVIII elegeram o chá como sua bebida no trabalho”. Motivados pelos patrões, que ofereciam “intervalos de chá” para os cansados funcionários e os mantinha alertas por conter boas doses de cafeína, os trabalhadores ficavam atentos em turnos longos e enfadonhos. Conta-se que a popularização do chá vindo da Índia reduziu grandemente a incidência de disenteria na Grã-Bretanha porque a água era fervida para prepara-lo – sim, a parte ocidental da humanidade aprendeu muito com suas colônias orientais.

Então, que tal um cházinho para animar seu dia de trabalho hoje? Eu já estou com o meu aqui. 😉

P.S. E se você prefere chás com misturas novas e geladas, aqui tem uma reportagem de Regina Valadares com fotos de Ricardo Côrrea que traz receitas bem interessantes:

A milenar bebida ganha versões gourmet, adere ao horário de verão e surge bem geladinha, em refrescos modernos e drinques alcoólicos sofisticados  Texto Regina Valadares | Fotos Ricardo Corrêa | Produção Cláudia Pixu

A milenar bebida ganha versões gourmet, adere ao horário de verão e surge bem geladinha, em refrescos modernos e drinques alcoólicos sofisticados Texto Regina Valadares | Fotos Ricardo Corrêa | Produção Cláudia Pixu

Você pode gostar também de ler:
Há alguns anos, meu marido e eu temos alterado, alimento por alimento, bebida a bebida,
Nesta semana falei de migrantes e do que nos faz ser de um lugar ou
Gosta de curiosidades, tipos urbanos exóticos, cidades que nunca dormem e comida japonesa? Se seu
Você é daquele tipo de consumidor que baseia suas escolhas em valores? Eu sou. Se
Nossa nova diversão no horário do jantar é ver as famílias cozinhando juntas suas receitas tradicionais
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas