Vai, doa! #vaidoa #doesangue

Na foto: eu e Tchulim umas duas semanas antes do acidente dela

Um movimento no estilo “não fale, faça” de quem resolve “fazer o bem sem ver a quem” começa assim: uma pessoa sofre um acidente, os amigos (virtuais e reais) oferecem ajuda, sobram voluntários e a vítima se torna ativista de uma doação ampla e sem fronteiras. Foi assim que Carol Rocha (aka @tchulimtchulim) fez sua fama de musa do lingerie day se tornar pequena diante do movimento que ela e (nós) os amigos agitam há alguns dias para amplificar, em todo Brasil, a causa da doação de sangue.

A história do acidente teve um começo triste e poderia ter sido uma catástrofe sim – leia aqui o relato – mas se tornou algo mais quando sobraram (literalmente) manifestações de solidariedade e pedidos efetivos dizendo “quero ajudar também”. Como nem todo mundo está em São Paulo, onde aconteceu o atropelamento da Tchulim, ela foi sugerindo que os grupos se organizassem e promovessem uma ação coletiva de doação em hemocentros de todo Brasil.

Como contou a Carol Moreno (aka @anarina)

“a @tchulimtchulim sofreu um acidente no dia 13/08 e precisou repor as bolsas de sangue que usou durante uma cirurgia.
mas, além disso, ela quer ajudar a estocar o banco de sangue do Brasil inteiro! Todos os dias os brasileiros precisam de um total de 5.500 bolsas.
portanto, todos podem ajudar!

E para ajudar, não precisamos entrar em conflito, querem ver? A Tchulim foi transferida para o Hospital Bandeirante na quinta-feira, mas hoje, sábado, o Hospital Einstein atendeu ao chamado e está organizando um grupo para divulgar a doação lá. Tivemos também apoio da Unimed Paulistana, que se empenhou muito para tentar conseguir levar uma unidade de doação para o youPIX (sim, quando se reunem muitos, as ideias são grandes!) e continua apoiando, mesmo sem ser o plano de saúde da moça.

Para ajudar, além dos caras que foram doar nestes dias – gente como @inagaki @nerdpai @kakah – você pode participar da campanha, basta tirar uma foto antes, durante ou depois da doação e enviar pra gente, mandando no formulário do tumblr que criamos para a campanha e tem um nome convidativo: Vai Doa!

Eu já mandei a minha  foto de junho, quando fui no Einstein doar sangue no Dia do Doador:

Como dizia no panfleto que recebi quando passei pela triagem do Banco de Sangue, “uma vida não precisa de muito para continuar“, mas precisa de gente. A ciência melhorou muita coisa, evoluiu horrores, mas doar sangue (assim como órgãos, medula, leite humano) ainda é o que nos permite sermos mais gente.
Eu fui no Banco de Sangue do Hospital Albert Einstein do Morumbi, mas você pode procurar um local perto de você, nos postos fixos do Hemocentro bairro, cidade ou estado.

[Veja aqui Como fazer a doação de sangue]

Participe, divulgue, apoie esta ação totalmente colaborativa e voluntária você também!

🙂

E por fim, meu obrigada por ter conhecido a turma que a @anarina ontem chamou num #FF Equipe da @tchulimtchulim@vaidoa @NerdPai @miudovisk @samegui @morroida @FabioRex @PeaShrek @alowez (que desenvolveu, em 1 dia e meio, um aplicativo para iPhone para divulgar a ação) @fabioallves @costajr@cardiolima – obrigada pessoal.

P.S. A foto, que Gui tirou umas duas semanas antes do acidente da Tchulim, foi registro nosso depois de uma reunião de trabalho. A gente não se fala muito no Twitter, mas tenho o maior respeito por esta mocinha que conheci como voluntária na intervenção que eu, @anarina, @metheoro, @maxreinert e @inagaki fizemos na Campus Party 2011, discutindo o preconceito e convidando a “pensar antes de digitar”. Desde então nos aproximamos e pude confirmar o que os amigos em comum – como @lidifaria e @poperotico – sempre diziam, que ela é uma pessoa muito querida.

Posts relacionados:

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook