Vaga Viva no Dia Mundial Sem Carro #DMSC

menos transito mais ar puro akatu no ibirapuera dia mundial sem carro

Então hoje novamente é o Dia Mundial Sem Carro! Nos anos anteriores eu escrevi sobre minhas posturas e promessas para esta data. Tenho mantido, na medida do possível evitamos carro (com dois filhos numa cidade como São Paulo não é fácil, por isso reitero que é na medida do possível) e continuamos com um único carro na família, procurando oferecer e pedir carona para amigos, organizar nossos compromissos e condição de vida de forma a não aumentar o engarrafamento, a emissão de gases e tudo mais que outro carro nosso poderia trazer para nossa comunidade.

dia mundial sem carro desafio intermodal

Acompanhei na TV o Desafio Intermodal e, como muita gente, fiquei impressionada com os resultados: quem diria que a bicicleta ganharia do helicóptero? E que aquela vontade de sair correndo quando estamos parados num congestionamento também poderia não ser loucura?

Os resultados nos mostram que dá para pensar e experimentar novas formas de viver na cidade. Para quem tem um trabalho só, não deixo de pensar que faria diferença tentar morar mais perto do trabalho ou trabalhar mais perto de casa (um incentivo fiscal ou coisa do gênero da prefeitura para as empresas que contrararem quem mora mais perto do trabalho, quem sabe?) podem ser ações sustentáveis também! Outra sugestão é se informar quando for trocar de carro e buscar um que não polua tanto – achei um ranking dos carros que mais poluem, considerando os que estão no mercado nacional.

E, claro, há que se ter um esforço coletivo, que inclui ações do poder público, que administra a cidade e deveria planejar ações prevendo os problemas que enfrentamos. Neste último ano a frota aumentou em vários locais (resultado da isenção de IPI?), mas será que houve investimento proporcional a este crescimento para facilitar a opção pelo transporte coletivo? No meu cotidiano não vejo melhorias nesta área e, como escreveu @jonnyken hoje no Twitter,

Dia mundial sem carro só vai dar certo no Brasil se os outros dias forem “dia mundial do investimento em transporte público”

Soube que o Instituto Akatu pelo Consumo Consciente faz nesta data uma mobilização no estilo da que fez no Parque do Ibirapuera (um carro inflado com quase cinco metros de comprimento, o da foto ilustrativa do post) envolvendo-se no projeto ‘Vaga Viva’, liderado pelo Movimento Nossa São Paulo. Pena que está chovendo, porque a ideia seria perfeita para um dia ensolarado.

O Vaga Viva transforma espaços de estacionamento na rua em local de convivência. Entre as 7h e às 19h do dia 22 de setembro, algumas vagas da Rua Padre João Manoel, próximas à esquina da Avenida Paulista, serão cobertas por um tapete verde. Nesse espaço, a partir das 14 horas haverá uma intervenção de um grupo de teatro, a Companhia Presente, com apresentação estimulando a participação da população. As pessoas vão receber caixas de papelão de vários tamanhos, com desenhos de carros. Cada um colocará a sua caixa, (o seu ‘carro’) numa vaga. Isto acontecerá sucessivamente, até que todo o espaço fique ocupado, dificultando a locomoção. A simulação prevê que, neste momento, o grupo será questionado sobre qual a solução para o problema, ou seja, “como resolver a falta de espaço para tantos carros?”. A partir daí, o público será estimulado a refletir sobre as conseqüências e os impactos do uso não consciente do transporte e as alternativas mais sustentáveis que podem ser adotadas.

Você sabe como surgiu este dia? O Dia 22 de setembro foi escolhido internacionalmente e desde 1997 (quando surgiu na França, espalhando-se para União Européia e se transformando na semana Européia da Mobilidade) é uma data de mobilização para chamar a atenção para a importância de redução do uso de automóveis nos grandes centros urbanos. O Brasil aderiu à campanha em 2001, quando 11 cidades brasileiras tiveram ações de mobilização.

Leia também: Motivos para usar bicicleta.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook