Adoramos e recomendamos Uma família de dois

Créditos: Reprodução/Internet. Cena do filme Uma família de dois.
Créditos: Reprodução/Internet. Cena do filme Uma família de dois.

Quer uma sugestão de filme para rir e chorar, se divertir, neste ótimo e surpreendente filme bilíngue que tem muito mais significado com o nome em francês: “demain tout commence”.

A vida é feita de “hojes” bem vividos, pois quem saberia do amanhã?

Acredito que o bom cinema é o que conta uma boa história e nos transporta de alma e coração para outra dimensão, nem que seja por 90 minutos. E, na volta dessa “viagem”, somos novos, diferentes, melhores.

Bem, este filme tem a capacidade de transformar o comum, um “bon vivant” repentinamente transformado em pai, uma família diferente sem mãe e com uma figura materna gay, em algo extraordinário, com direito e muitas risadas e litros de lágrimas, que não deixa espaço para o óbvio!

Gostei demais!

Demain tout commence (2016)
Demain tout commence (2016)

Omar Sy interpreta o bon vivant Samuel. Ele leva uma vida boa à beira-mar na Riviera Francesa, onde trabalha com turismo, envolvido com a navegação, boas festas e belas mulheres, até ser surpreendido por Kristin (Clémence Poésy), uma esquecida aventura de uma noite do verão passado, que aparece numa manhã com a bebê Glória, pretensamente filha dos dois. Como a maior parte da trama se passa quando a menina tem 8 anos, a personagem é vivida pela atriz Gloria Colston, fluente em inglês e francês, que dá um show na parceira com Omar Sy. Só a química dos dois valeria o filme!

Pai de quatro filhos, Omar Sy não teve problemas para criar um ótimo relacionamento com a jovem atriz Gloria Colston, com quem forma uma dupla de pai e filha provável e muito comovente.
(critica de Florence Roman, Public)

O que falar de Omar Sy? Filho de pai senegalês e mãe mauritânia, ele foi o primeiro ator negro a ganhar o César, o mais importante prêmio do cinema francês, por sua atuação em Os intocáveis (2011), filme que não canso de recomendar. Ele também sonhou e realizou o filme Chocolate (2015), que conta a extraordinária história de um negro ex-escravo que se tornou celebridade do mundo do entretenimento na França da belle époque.

filme-uma-familia-de-dois-amigo-gay

Vale menção o personagem Bernie (Antoine Betrand), “amigo gay da família de dois”, figura significativa do início ao fim e que não merecia somente o título de coadjuvante. Ele é caricato, mas o filme todo é! Desde o início, como “barqueiro” na Riviera, até ser o dublê de ação que mora em Londres e não fala quase nada de inglês, o pai é uma figura que beira o ridículo. E a menina, que age como adulta por dois, é também o padrão cômico e dramático da criança que sofre sem um dos pais ou com um deles sendo infantilizado. Mas, no todo, o filme é divertido, despojado, tem ritmo bom e cria empatia.

Sobre um fundo de conflito familiar, [o diretor] Hugo Gélin colore sua comédia com fantasia, misturando riso ao drama de forma distorcida para escapar do formato esperado.
(critica de Jean Serroy, Le Dauphiné Libéré)

Fomos à pré-estreia (na verdade nova exibição, pois o filme esteve no Festival Varilux de Cinema Francês) numa turma boa, sete pessoas e olha, o filme agradou a todos e só os homens não choraram – ou não admitiram. E as risadas, essas eram audíveis no cinema todo em boa parte do filme.

🙂

Sobre ontem à noite, depois da #preestreia de #umafamiliadedois na companhia das meninas do @avidaquer, @lisboa_livia e @monisereis, e do ótimo #omarsy. Rimos e choramos litros, neste ótimo e surpreendente filme bilíngue que tem muito mais significado com o nome em francês: “demain tout commence”. A vida é feita de “hojes” bem vividos, pois quem saberia do amanhã? Ainda estamos “tirando no par ou ímpar” para decidir quem vai escrever no blog sobre o filme que estreia nesta quinta-feira e recomendamos muito. ⭐️⭐️⭐️⭐️ (📷 @gnsbrasil e o #valenight do @enzobuzz e @giorgio_sns que ficaram em casa cuidando de uma pequena que só dormiu depois de apreender algumas palavras de francês, decidida a ir comigo na próxima vez “que o filme não for em português”!) #pequenasalegrias #contesuasbênçãos #maisamorsemfavor #encontrosquetransformam #menospresentemaispresença #amigas #abraçosquecuram #maeSEMfilhos

Uma publicação compartilhada por Sam @samegui Shiraishi (@samegui) em

Uma família de dois é uma versão do sucesso Não Aceitamos Devoluções (No se aceptan devoluciones, 2013), filme de maior bilheteria da História do México, com 15,2 milhões de pagantes, uma comédia dramática escrita, dirigida e estrelada por Eugenio Derbez. Fiquei com vontade de ver o original também!

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.