The Doers – o Brasil na Olimpíada de Tecnologia

20120721-144102.jpg

Frequentemente recebo de amigos notícias ligadas ao empreendedorismo jovem. Muitos me mandam com algum recadinho gentil sobre meus meninos, o que me deixa contente com o carinho, mas ciente de que eles não são crianças excepcionais, felizmente são parte de uma geração diferente! Fico sinceramente feliz, surpresa com a junventude dos novos talentos (a faixa dos 10 aos 18 anos é altamente empreendedora!) e orgulhosa da minha nação quando sei que são brasileiros fazendo bonito por aí.

Na última semana eu pude mesclar todos estes motivos citados acima e até uma pontadinha de “corujice familiar” ao acompanhar os resultados da Imagine Cup (a Olimpíada da Tecnologia), promovida anualmente pela Microsoft. O evento, que reúne 250 mil participantes do mundo todo, neste ano contou com a participação de estudantes de 190 países e as finais foram feitas em Sydney, na Austrália.

O motivo de minha satisfação vem do time The Doers, grupo de alunos da Universidade Positivo de Curitiba, que ficou na segunda posição na categoria Design de Games para XBox/Windows. Com o jogo ‘Faça mais’, que encoraja as pessoas a resolver problemas baseado em trabalho de equipe, como mostra o vídeo abaixo:

O neto de meus padrinhos (e um primo distante do meu lado Hoffmann, pois meu avô era irmão da bisavó dele), Luiz Gustavo Gomes Monclar, é um dos membros da equipe (que tem também Guilherme Savio, Michael Bahr, Eduardo Schildt e Rhandros Dembicki) e foi através dele e de sua mãe, Giselle, que soube mais detalhes deste desafio, que na sua 10ª edição distribuiu US$ 175 mil em prêmios, revelando talentos nas áreas de design de softwares para computadores e games.

É o quarto ano consecutivo de bons resultados brasileiros na competição e o Brasil também venceu três desafios que oferecem prêmios paralelos à competição principal. A equipe Team Interlab com estudantes da Escola Politécnica da USP e da Unicamp de São Paulo venceu na categoria Kinect Fun labs. Já o time da Virtual Dreams também formada por estudantes da Escola Politécnica e da Unicamp de São Paulo ganhou nos desafios Windows metro style app e Windows Azure.

E de onde estes “meninos” têm ideias tão criativas? Eles responderam ao tema proposto – ‘Imagine um mundo onde a tecnologia ajude a resolver os seus problemas mais desafiadores‘ – e a partir desta ideia criaram aplicativos para diferentes plataformas que oferecessem soluções práticas.

“Seja usando a tecnologia de nuvem (com HDs remotos) para ajudar na recuperação de desastres, inventando uma tecnologia para fazer a educação mais acessível e desenvolver a inclusão digital ou tornando possível o diagnóstico médico usando telefones celulares, a Imagine Cup inspirou estudantes a imaginar o que antes era considerado impossível e torná-lo real”.

Todas as equipes finalistas estão aptas a se candidatar para uma bolsa de US$ 3 milhões, que tem como objetivo transformar os projetos em realidade. Minha torcida, novamente, é pelos meninos da equipe The Doers!

E se você ficou muito curioso porque tem um projeto super interessante, conhece jovens ultra talentosos ou quer um dia ser assim, não fique só no sonho e na vontade: se prepare, invista nos seus planos, empreenda e se mantenha ligado nas notícias e oportunidades.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook