Terrorismo e adicção

O Faça sua parte mudou para o Verbeat blogs. Li a estréia de Lúcia lá falando sobre um tema interessante: Terrorismo contra a carne. Li, tentei comentar, mas não deu certo, por isso estou postando aqui minha posição e deixando o pingback fazer seu trabalho.

Eu também não gosto de radicalismos, em área alguma, exatamente por esta razão: ele nos tira o direito supremo de escolha, da individualidade, do livre-arbítrio que prezo e valorizo tanto. Até meus filhos usam esta expressão e sabem o que significa: um presente divino podermos escolher, para nossas vidas, o que achamos melhor. Gostei muito da sua posição da Lúcia e da coragem de tratar do tema, consciente das reações.

Já fui vegetariana por anos (dos 13 aos 19 anos) e deixei de sê-lo justamente por perceber que, para mim, o caminho do meio é melhor do que os extremos. Ele nos aproxima das pessoas, enquanto que o outro nos distancia e, na minha opinião, escraviza, naquele sentido de addiction .

Addictum: é uma palavra latina que significa “escravo”; designava o homem que, para pagar uma dívida, se convertia em escravo por não dispor de outros recursos para cumprir o compromisso contraído“, como li aqui. Apesar de a OMS não aprovar, uma corrente de especialistas em vez de usar ‘toxicomania’, prefere usar drogadiccção para o caso da pessoa que vira escravo ou dependente das drogas. Meu professor de Psicologia Social, uma disciplina eletiva eu fiz na UFPR, adotava este termo e até hoje vejo as pessoas que têm algum comportamento no qual estão “presos” como adictos, em maior ou menor grau, independente do que os aprisione, substâncias químicas, comportamentos, atividade física, muita coisa pode nos levar a perder a noção e o limite do eu e do outro, o que considero o mais grave no comportamento dos dependentes.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook