cidadania / destaque / educação

Mil estudantes da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP) participaram de uma aula magna ministrada pelo prefeito de São Paulo a respeito de políticas e ações ligadas ao desenvolvimento urbano da cidade.
Tendências políticas à parte, essa imagem é linda!

Mil estudantes da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP) participaram de uma aula magna ministrada pelo prefeito de São Paulo a respeito de políticas e ações ligadas ao desenvolvimento urbano da cidade.

O encontro foi promovido pelo Departamento de História da FAU, com o objetivo de debater temas de pesquisa e de cultura contemporânea. Por mais de duas horas, o prefeito respondeu questionamentos dos alunos sobre questões ligadas ao programa habitacional popular, operações urbanas e aos projetos de mobilidade da capital. Haddad também aproveitou para explicar a importância que a Lei de Zoneamento e o Plano Diretor Estratégico têm para o desenvolvimento da capital, integrando as camadas mais pobres da população.

Eu acredito sinceramente que a administração pública precisa da gente. Talvez cidades com espaços acadêmicos como a FAU tenham mais chance de discutir o tema das cidades, que virou uma ciência. Mas se a gente constituir um movimento pensante permanente, poderíamos fazer da construção coletiva de políticas públicas transformadoras um hábito.

Eu acredito sinceramente que a administração pública precisa da gente. Talvez cidades com espaços acadêmicos como a FAU tenham mais chance de discutir o tema das cidades, que virou uma ciência. Mas se a gente constituir um movimento pensante permanente, poderíamos fazer da construção coletiva de políticas públicas transformadoras um hábito.

“A ocupação territorial da cidade também segue a lógica de distribuir melhor os equipamentos públicos pelo território para mitigar o efeito do acesso desigual à terra”, disse o prefeito.

Mas também exige uma mudança na forma como os cidadãos se entendem como responsáveis pela cidade.

Se não tomarmos os espaços públicos como nossos, seremos eternamente governados por grupos políticos que consomem tempo e dinheiro desfazendo o que os rivais políticos criaram. Só nós, como cidadãos, podemos nos apropriar da cidade sem receio do ganhar ou perder das eleições seguintes.

"A ocupação territorial da cidade também segue a lógica de distribuir melhor os equipamentos públicos pelo território para mitigar o efeito do acesso desigual à terra", disse o prefeito.  Mas também exige uma mudança na forma como os cidadãos se entendem como responsáveis pela cidade. Se não tomarmos os espaços públicos como nossos, seremos eternamente governados por grupos políticos que consomem tempo e dinheiro desfazendo o que os rivais políticos criaram. Só nós, como cidadãos, podemos nos apropriar da cidade sem receio do ganhar ou perder das eleições seguintes.

The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Latest posts by Sam @samegui Shiraishi (see all)


Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas