Sueño Florianópolis

Romances de verão não são exatamente uma novidade no cinema. O longa Sueño Florianópolis, o qual estreia na próxima quinta-feira, dia 15, nos cinemas brasileiros, não parece fugir muito deste padrão, mas apresenta uma trama um tanto inovadora ao colocar brasileiros e argentinos no mesmo enredo com tal temática.

Lucrecia, vivida por Mercedes Morán, e Pedro, Gustavo Garzón, constituem um casal argentino que está prestes a se divorciar após mais de 20 anos juntos. De modo não muito abordado pelo roteiro, os dois planejam uma viagem com seu dois filhos adolescentes para Florianópolis, onde viajaram anos antes. A intenção de ambos com a viagem deixa o espectador na dúvida: da mesma forma que possa parecer uma tentativa de reaproximação do casal, em busca de reviver o romance do passado, parece simultaneamente como uma “viagem de despedida”.

Após uma série de coincidências, a família argentina acaba reencontrando o casal brasileiro que conhecera na estrada, formado por Marco (Marco Ricca) e Larisa (Andrea Beltrão). O casal aluga casas em Florianópolis para turistas e não perde a oportunidade de hospedar os argentinos.

Previsivelmente, mostra-se a desintegração familiar dos portenhos, primeiro com o afastamento cada vez maior de Pedro e Lucrecia. A caçula acaba se envolvendo em um romance com César, filho de Marco, enquanto o primogênito viaja para uma cidade vizinha. Apesar dos constantes desentendimentos entre todos os familiares, são também frequentes os momentos em que se reúnem felizes para desfrutar da natureza brasileira.

 

O romance entre Lucrecia e Marco, insinuado desde o início do filme, ganha mais destaque com a ausência dos dois filhos da portenha, que se afastam para viajar. O mesmo ocorre com Pedro e Larisa, embora ambos protagonizem um romance com muito menos destaque ao longo da obra.

Desta forma, Marco e Lucrecia estrelam o romance protagonista de Sueño Florianópolis, Marco enquanto brasileiro acolhedor e extrovertido e Lucrecia, argentina e solitária, que se apaixona em um momento de melancolia.

A direção de Ana Katz, porém, não se pauta com profundidade na construção dos romances e opta por focar o filme em torno da personagem Lucrecia. Os demais personagens recebem a mesma atenção do público que a dada pela protagonista e acabam se tornando um tanto superficiais.

Como o próprio título já sugere, “Sueño Florianópolis” se trata de um anseio, desejo, um sonho, vivido ou não na cidade de Florianópolis. Os personagens muitas vezes deprimidos e apáticos contrastam com o ambiente de luz, natureza e alegria da capital de Santa Catarina. Trata-se de uma obra que busca explorar os pensamentos e ações da protagonista e sensibilizar o espectador, que pode se identificar com os sentimentos de solidão e melancolia por ela vividos. E no fim restam as dúvidas sobre o que pode ter acontecido aos personagens após os créditos.

Nota da Editora:

Já conhecia a diretora argentina Ana Katz do filme  “Mi amiga del Parque”, ganhador do Melhor Roteiro no Festival de Sundance, em 2017.

Minha Amiga do Parque

Formada pela Universidad del Cine de Buenos Aires, com experiências como roteirista, dramaturga e atriz, em 2013, seu projeto “Sueño Florianópolis” (seu quinto longa), foi vencedor do Edital de Coprodução Brasil-Argentina, promovido pela ANCINE e INCAA.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.

Daniel Benites

Estudante de jornalismo, amante eterno dá sétima arte, não passo uma semana sem frequentar às telas. Adoro viajar e ter novas experiências, toco em uma banda e espero um dia escrever um livro (ou vários).

Latest posts by Daniel Benites (see all)