Sobre as locações de filmes em São Paulo

Outro dia comentei que um apartamento em São Paulo será cenário de um dos episódios da nova temporada da série Black Mirror e dei alguns detalhes do projeto do imóvel, com diferenciais planejadas pelo escritório Piratininga Arquitetos. “Localizado na Avenida Paulista, no Edifício Três Marias, projetado por Abelardo Riedy de Souza e concluído em 1956, o apartamento teve seu interior reformado em 2009 pelo escritório paulistano e atraiu o interesse da equipe de produção de Black Mirror pela impressionante vista que oferece para a avenida mais emblemática da cidade.

Muito fã de #blackmirror divulgou a notícia de que um apartamento em São Paulo será cenário de um dos episódios da nova temporada da série. Sucesso de público e de crítica, a série criada por Charlie Brooker e atualmente produzida pela Netflix. O site @archdailybr desvendou detalhes do projeto desse imóvel, com diferenciais planejadas pelo escritório Piratininga Arquitetos. “Localizado na Avenida Paulista, no Edifício Três Marias, projetado por Abelardo Riedy de Souza e concluído em 1956, o apartamento teve seu interior reformado em 2009 pelo escritório paulistano e atraiu o interesse da equipe de produção de Black Mirror pela impressionante vista que oferece para a avenida mais emblemática da cidade. Este apartamento foi projetado para um comerciante que o divide com seu filho, e o projeto foi realizado tendo em conta o fato de que a residência é de dois homens, cada um deles ocupando uma parte dela, nas extremidades do andar. E o projeto original de 1952 é do arquiteto Abelardo de Souza, um dos ícones do movimento modernista no Brasil. 😉 #agentenaoquersocomida #avidaquer @avidaquer por @samegui com @viniimarques @enzobuzz

A post shared by A Vida Quer (@avidaquer) on

Antigamente coisas bonitas do Brasil que iam para as telinhas internacionais eram gravadas no Rio de Janeiro. Mas a capital paulista tem seus encantos e cada dia mais locações acontecem por aqui. A São Paulo Film Commission, departamento da Spcine que administra as filmagens em espaços públicos da cidade (como ruas, parques e equipamentos públicos) comemora depois de dois anos de vida níumeros assim: 5,9 mil locações solicitadas, 1,8 mil obras audiovisuais atendidas, 5,2 mil diárias de gravações. As filmagens que passaram pela área movimentaram cerca de R$ 778 milhões e geraram 40,2 mil postos de trabalho.

Entre os formatos, o campeão de solicitações é a publicidade, com 47,8% dos pedidos (896 em números absolutos). Na sequência vem os curtas-metragens, com 261 solicitações; e programas de TV, com 146. A lista continua com os documentários (109), obras seriadas (87), longas-metragens (69), webséries (69), telefilmes (5), animação e games (2) e formatos variados (168).
Os números são uma inovação na área.
“Antes não havia essa logística, ou seja, não sabíamos quem, o que e onde filmava na cidade. Desde o surgimento da São Paulo Film Commission, conseguimos não só acompanhar as demandas estatisticamente, como também saber qual impacto da atividade no mercado de trabalho e quanto a atividade movimenta em recursos financeiros”, explica Daniel Celli, coordenador da área.

Os diferenciais não param por aí. A São Paulo Film Commission também criou um sistema de descontos de acordo com o formato da obra (curtas chegam a ter 95% de desconto; e publicidade, 5%), estabeleceu prazos de resposta às solicitações (publicidades, até três dias; e outros formatos, até oito) e desenvolveu um aplicativo com imagens e informações de 400 locações públicas (Google PlayApp Store).
Só pra ficar em alguns exemplos, passaram pelo departamento Sense8, Black Mirror, 3%, Marighella, Carcereiros, Nada a Perder, O Negócio, Psi e 13 Dias Longe do Sol.
O próximo objetivo é conquistar a aprovação do projeto de lei que regulamenta a área. Também está no plano estimular as filmagens internacionais em território paulistano, além de sedimentar as de outros estados e cidades do Brasil.
Gostou? Quer aproveitar? Veja no infográfico mais dicas:

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.