Só livro lido é cultura

“Começar a ler foi para mim como entrar num bosque pela primeira vez e encontrar-me, de repente, com todas as árvores, todas as flores, todos os pássaros. Quando fazes isso, o que te deslumbra é o conjunto. Não dizes: gosto desta árvore mais que das outras. Não, cada livro em que entrava, tomava-o como algo único.”
José Saramago (El País Semanal, Madrid, 29 de Novembro de 1998)

O excerto foi reunido por Ana Estela de Sousa Pinto no blog Novo em Folha no dia da morte de José Saramago, escritor português, autor de sucessos como Ensaio sobre a Cegueira e Evangelho Segundo Jesus Cristo. Filho de analfabetos, ele se tornou o primeiro escritor sua (nossa) língua a ganhar o maior prêmio literário, o Nobel. Aproveito esta deixa da vida de Saramago para falar da importância da leitura em todas as fases da vida -e para chamar para os resultados de uma pesquisa que apresentarei no meu post de segunda-feira no Mãe com filhos, no qual eu comento a coluna do economista (e entusiasta da Educação) Claudio de Moura Castro do dia 16/06/2010 uma reflexão importante sobre o tema, no texto “O judeu de Bethesda“.

E voltando a Saramago (escritor do qual não sou fã, mesmo depois de ter tentado ler duas obras suas), o fato aqui é que José Saramago também escreveu para crianças. A Maior Flor do Mundo foi lançado no Brasil pela Companhia das Letrinhas, com ilustrações de João Caetano e recebeu o título de Altamente Recomendável pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), em 2001. A história foi adaptada para esta animação linda, dirigida por Juan Pablo Etcheberry num curta-metragem produzido em 2007 que ganhou o prêmio de melhor animação do Anchorage Internacional Film Festival e foi nomeado para os Goya na categoria de melhor curta-metragem. É possível ver o vídeo abaixo:

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook