As mídias sociais nada mais são do que o social #smwsp

“Sempre existem pessoas na frente do monitor e do visor do celular. As mídias sociais nada mais são do que o social, ou seja, pessoas se relacionando.”

#smwsp lotadoooo!

Como eu contei aqui, nesta semana acontece em Sampa a Social Media Week. Os debates de hoje estão sendo interessantes, especialmente por sair do lugar comum de trazer a “receita de bolo” e o “case de sucesso”, pensando também no que nós podemos aprender coletivamente com o uso das novas mídias.

A tarde começou com o bate-papo “Mídias Sociais em Giro pelo Mundo” com Juliana Constantino e Rosana Fortes contando o que têm visto de mais interessante e inovador em termos de ações, projetos e campanhas de mídias sociais pelo mundo. Gostaria de ter visto o painel “Mídias Sociais Somos Nós, Pessoas”, moderado por Diego Remus (Startupi/SMW/SP) com e Renata Lemos (ThinkTank) e Mayra França (Follow Digital), navegando pelo lado mais humano, se é que existe algum menos humano, das mídias sociais.

Ouvi, não do auditório (que está impraticável de tão cheio), mas do lounge da OI, o debate “Valores da Web – Já quebramos os Paradigmas de Mudança?” moderado por Rafael Sbarai (@rsbarai, de Veja) que trazia a “figura humana” por trás de sucessos ou fracassos das redes sociais, blogs e podcasts. Foi inspirador ouvir o termo Colearning e não só coworking por Pablo Handl (Hub), que debatia o assunto com os “Jovens Nerds” Alexandre Ottoni e Deive Pazos.

E agora acontece a apresentação de um estudo intitulado “Verdades, Mentiras & Mídias Sociais” que promete ser um olhar clínico, crítico e questionador sobre mídias sociais, a partir da pesquisa feita pela JWT Brasil, com exclusividade para o SMW/SP, apresentado por Cris Dias, Ken Fujioka e Patrice Lamiral.

Você está fora de Sampa ou o trabalho não permite aquela escapadinha para ouvir as novidades do mercado das novas mídias? Saiba que pode participar mesmo assim pois há promessa de transmissão integral do evento no http://smw.oi.com.br para um lounge e para a internet.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook