Para acompanhar na web: I Seminário Internacional de Promoção da Saúde, Juventude e Políticas Públicas

A dica é de @comercrescer: o CEPEDOC realiza hoje das 8h às 17h30, no Auditório João Yunes da FSP, o I Seminário Internacional de Promoção da Saúde, Juventude e Políticas Públicas, com o objetivo de promover a discussão sobre a situação do jovem nas metrópoles brasileiras, a questão dos direitos e o papel das políticas públicas nos ambientes em que vivem assim como discutir a contribuição do referencial de promoção da saúde para o desenvolvimento de ações e abordagens que favoreçam uma Cultura de Paz e justiça social.

O legal é que podemos acompanhar ao vivo via internet acessando o site do IPTV/USP – e lá basta clicar em “Transmissões”, em “Ao vivo” e por fim, no “Título do evento”.

Iniciativa interessante, o evento busca promover a discussão sobre a situação do jovem nas metrópoles brasileiras, a questão dos direitos e o papel das políticas públicas nos ambientes em que vivem e discutir a contribuição do referencial de promoção da saúde para o desenvolvimento de ações e abordagens que favoreçam uma Cultura de Paz e justiça social:

Pela manhã aconteceu a Conferência de Abertura sobre Promoção da saúde e políticas públicas de juventude com Luis Andrés López Fernández da Escuela de Salud Publica de Andalucía, Espanha, e o painel Autonomia, juventude e políticas públicas sob coordenação de Juan C. A. Fernandez – FSP e CEPEDOC Cidades Saudáveis com Adriana Campos da Silva (Socióloga, educadora social do Projeto “PROTEJO – Osasco”), Pedro Aguerre (Professor Doutor da FEA – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP) e Bader Sawaia (Professora Titular da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP).

Durante a tarde, o painel Juventude, direito e políticas públicas tem coordenação de Maria Alves da Silva (Ministério da Saúde) com Ricardo de Oliveira Silva (Procurador de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul e Presidente da Associação Brasileira de Justiça Terapêutica), Flávia Schilling (Professora Doutora da Faculdade de Educação da USP) e Alba Zaluar (Professora Titular de Antropologia do Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro).

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook