Amando a segunda-feira e fazendo do hoje o melhor dia

“Existe uma energia incompreendida nas segundas-feiras, não sei porque insistimos em não amá-las, são elas as responsáveis por nossa quase, intermináveis segundas chances. O dia que nos permite acreditar que ainda dá tempo. O dia que nos puxa pelo braço e diz: Vamos lá, começar algo novo hoje.”

Não identifiquei o autor, mas gostei muito desse trecho.

Adoro hoje, independente do dia da semana ou mês.

Eu estava no meio da programação de um encontro com amigos e senti uma coisa: a gente precisa parar de protelar a vida e

E sobre a segunda-feira…

A palavra é originária do latim Secunda Feria, que significa “segunda feira”, e de mesma acepção existe em galego (segunda feira), mirandês (segunda) e tétum (loron-segunda). Povos pagãos antigos reverenciavam seus deuses dedicando este dia ao astro Lua, o que originou outras denominações, em espanhol diz-se lunes, no italiano lunedì,em francês lundi, em inglês Monday e em alemão Montag, com os significados de “Lua” e “dia da Lua”. Outros povos reverenciavam deuses mitológicos.

Lapide epigrafica visigotica.jpg
Primeira referência escrita conhecida à segunda-feira, na Igreja de São Vicente, Braga, datada de 618. Por Joseolgon – Obra do próprio, CC BY-SA 3.0.

Na cultura popular, é considerado o dia mais “aborrecido” da semana pois é o primeiro dia de trabalho após o fim de semana.

Em 2010, durante dois meses, pesquisadores da London School of Economics (LSE) monitoraram o humor de 22 mil pessoas em toda a Inglaterra por meio de um aplicativo de celular. Contrariando o mito popular de que a segunda-feira é o pior dia da semana, os resultados mostraram que terça-feira é o dia em que as pessoas estão mais desanimadas, pois o ânimo proporcionado pelo fim de semana passou e as pessoas têm a percepção de uma longa semana pela frente.

Tudo é relativo, né?

Então façamos do hoje nosso melhor dia!

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.