a vida quer

Eis aí duas peças que estou curiosa para saber se vão emplacar neste verão. São belas e aprendi a aprecia-las com minha mãe (sei que sempre dela quando cito elegância, mas quem a conhece entende minhas razões). Na semana passada estive no Shopping Morumbi para uma reunião de trabalho e não resisti: fotografei esta vitrine para conversar com minhas amigas blogueiras de moda e pensar coletivamente sobre os hits do inverno que podem repetir seu sucesso no verão.

[Moda para usar] Vitrine no Morumbi Shopping por você.

Como escrevi hoje para @renataruiz, fiquei curiosa sobre as calças saruel (que são lindas e tenho visto muito não só nas vitrines, mas também nas ruas de São Paulo),  e fico lembrando dos conselhos de minha mãe sobre quem pode ou não usá-las. Como macacão em tecido sem estampa e numa cor só, do jeito que está aí, sei que até as baixinhas como eu podem usar! Mas é importante cuidar do volume das outras peças. 😉

Você sabe a história desta peça? Eu aprendi em casa, mas achei um texto da Manequim (minha revista de moda, porque costurar é um hobby que tenho desde a adolescência) que contava

Originária da região norte africana, especialmente do Marrocos, a saruel é uma derivação das calças johdpur e dhoti – modelos com amplo volume entre as pernas, muito utilizadas pelos povos da África e do Oriente Médio. “Acredita-se também que a calça marroquina era um traje religioso, utilizado desde a Idade Média, pois essa região era extremamente devota”, explica José Luis de Andrade, professor de moda do Senac. Nos países de origem, elas eram feitas de algodão ou seda, em cores neutras como bege e branca.
Apelidada em inglês de drop-crotch, a saruel voltou com força às passarelas no ano de 2006 em alguns desfiles, como Marc Jacobs, Givenchy e Vivienne Westwood. Em 2009 ela continua em alta e ganhou diversas variações. “Hoje encontramos a saruel com vários comprimentos de gancho, tecidos, estampas e fechamento, como zíper, botões e elástico. Materiais que não existiam na época de origem”, esclarece José Luis.

E os lenços no pescoço, será que emplacam no verão mesmo com o calor tropical? Espero que sim, porque eu os uso há muitos anos, independente da moda e concordo plenamente com @vanguarda que diz que este acessório “transforma um look básico, num look chique”. E @patirabelo contou no Bem Resolvida que foi a Andréa Fialho quem lhe passou umas dicas para saber como usar este acessório fantástico sem errar. 🙂

[Jét] Visita à loja da Samsung no Shopping MorumbiP.S. A reunião que tive foi na loja conceito da Samsung e, embora não tenha conseguido sanar minhas dúvidas sobre o uso do Jét, gostei da oportunidade – e pude antecipar dúvidas de consumidora 2.0 para os vendedores da loja. (risos) E de quebra ainda tirei várias fotos de coisas legais com o aparelho, que tem umas das melhores câmeras fotográficas que já vi. 🙂

Você pode gostar também de ler:
Hoje a Sam postou um artigo muito bom, falando para os pais não criticarem a aparência
Há alguns dias comentei aqui sobre a postura de se informar sobre a sustentabilidade embutida
Na semana passada Dani Vidal me perguntou "O que tem no meu carro de mãe"
O excesso de peso das bolsas femininas pode afetar postura, causar tendinite e contraturas musculares.
Tudo começou aqui: "Uma polêmica envolvendo gordinhas e anoréxicas estampou a revista americana Plus Model.
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas