cidadania / destaque / educação

Hoje teve prova Saresp e os colegas do meu filho no Ensino Médio queriam boicotar o exame por questões políticas, seguindo um movimento de 2016. Pensei no quanto os secundaristas são valiosos no mundo para repensarmos o sistema.

Porque ainda vivem com os pais, esse grupo acaba sendo mais utópico e idealista do que os universitários.

Isso leva a equívocos? Claro! Mas também a várias chances de repensarmos nossas certezas!

Não tem como melhorar o mundo sem um mínimo de espírito reformista 🙂

Nesta linha, trago uma iniciativa que descobri:

Para dar voz e estimular o protagonismo e a participação social dos jovens na construção de políticas públicas que atendam seus interesses, o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) lançou um jogo virtual que selecionará dez pessoas para compor o Comitê de Participação de Adolescentes do Conanda (CPA).

Os interessados podem se inscrever até 10 de dezembro.

Esta é a primeira vez que a entidade abre espaço para a participação dos adolescentes no conselho.

Podem participar do jogo virtual jovens entre 12 e 16 anos de todo país.

A disputa acontece em duas etapas:

  1. Na primeira, os candidatos devem lançar propostas com o tema Como seria o mundo se os adolescentes participassem e fossem ouvidos, e votar nas demais ideias. Os votos realizados e recebidos valerão pontos e os 40 melhores passarão de fase.
  2. Na sequência, esses 40 adolescentes criarão um vídeo para debater o tema da seleção e publicarão em suas redes sociais (YouTube, Instagram e Facebook). O perfil precisa ser público e usar hashtags a serem indicadas.

Na sequência:

  • Os trabalhos com mais curtidas positivas serão eleitos para o CPA, seguidos por mais dez participantes suplentes.
  • Os outros 20 candidatos formarão um grupo de comunicadores que poderão ser convidados para eventos e debates realizados pelo Conanda.

Conanda é um órgão colegiado de composição paritária integrado por 28 conselheiros titulares e 28 suplentes, sendo 14 representantes do poder executivo e 14 representantes de entidades não-governamentais que possuem atuação em âmbito nacional e na promoção e defesa dos direitos de crianças e adolescentes.

O papel do MEC no conselho é, além de garantir os direitos educacionais desses jovens, propor e divulgar os programas e ações que a pasta produz para reforçar isso.

“A missão do MEC é garantir o acesso à educação e um dos maiores problemas que temos hoje na adolescência é a evasão escolar. É fundamental nossa participação nas políticas públicas de permanência, não do ponto de vista social, mas educacional. Podemos viabilizar, por exemplo, o desenvolvimento social dos adolescentes que estão em condições de vulnerabilidade.”

Veja aqui como participar do jogo virtual.

P.S. Sobre o Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo, Saresp: é a principal ferramenta de avaliação externa adotada pela Secretaria e mede o domínio e habilidades dos alunos em Língua Portuguesa e Matemática. Em 2017, mais de 1 milhão de estudantes dos 3º, 5º, 7º, 9º anos do Ensino Fundamental e da 3ª série do Médio, em unidades de todas as regiões do Estado, participam do exame.

The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas