Dica cultural para este domingo: Ryukyu Koku Matsuri Daiko e o espírito okinawano no Anhembi

Ryukyu Koku Matsuri Daiko e o espírito okinawano

Em São Paulo uma das expressões culturais japonesas mais populares é o taiko. Os tambores japoneses costumam entusiasmar turistas e locais nas apresentações ao ar livre, relativamente comuns em festas no bairro na Liberdade e que acontecem ao longo do ano nas associações das províncias, onde se reunem os descendentes de japoneses que vivem por aqui.

Cresci indo a estes “kaikans” e ouvindo música japonesa com minha avó, Matsuno, que nasceu em Niigata e veio para o Brasil no começo do século XX.

Neste domingo, 19/01, acontece um grande evento do mais famoso grupo de taiko paulista, o Ryukyu Koku Matsuri Daiko, um dos principais grupos de taikô (tambores japoneses) do Brasil, reunirá 500 integrantes para dois grandes shows no Palácio das Convenções do Anhembi.

Ryukyu  Koku  Matsuri  Daiko significa  “Tambores  Festivos  do  Reino  de Ryukyu”  e  foi  fundado  em  1982 em Okinawa, Japão.  O  grupo nasceu com o ideal de preservar e difundir a cultura e as tradições locais por meio de manifestações artísticas.

karatekidiibdcap3_original
Se Okinawa fez você pensar em Karatê Kid, acertou. Aliás, dizem que o karatê surgiu lá como resistência à ocupação japonesa que proibia o porte de armas, criando uma luta que dispensa todas elas. 

Muito do que se conhece como cultura japonesa é, na verdade, fruto das tradições de Okinawa, arquipélago ao sul do Japão que foi anexado ao país no século XVI. Desde então Okinawa é a província mais ao sul do Japão e consiste em 169 ilhas que formam o arquipélago Ryukyu, numa cadeia de ilhas de 1000 quilômetros de comprimento, que se estende de sudoeste, de Kyushu até Taiwan, ainda que as ilhas mais a norte façam parte da província de Kagoshima.

Vale ir até lá e ver como esta cultura sobrevive entre os descendentes e apaixonados pelo Japão. Os shows terão performances distintas e prometem levar ao público as tradições e emoções da arte japonesa, comemorando os 15 anos das filiais Brasil e Argentina.

Sim, já muitos descendentes de japoneses na Argentina, sabiam?

Além dos “hermanos”, o evento contará com a participação de todas as filiais do Brasil: São Paulo (SP), Campinas (SP), Curitiba (PR), Londrina (PR), Campo Grande (MS), Brasília (DF); e filiais estrangeiras: Argentina, Peru, Bolívia, Japão e Estados Unidos.

A apresentação é uma mescla de ritmos coreografados tradicionais e modernos, como as que o grupo já mostrou com grande sucesso em eventos como o Criança Esperança e a abertura da Copa das Confederações em 2013.

Os ingressos poderão adquiridos no dia do show Chimuchurasa ­ A Beleza do Sentimento, neste domingo, 19/01/2014, das 13h às 18h, pelo valor único de R$ 25, no Anhembi (Auditório Celso Furtado, na Av. Olavo Fontoura, 1209 – Santana, São Paulo, SP.

🙂

Na retrospectiva abaixo podemos ver uma parte do trabalho e dos envolvidos no grupo Ryukyu Koku Matsuri Daiko:

E no Criança Esperança:

Ryukyu Koku Matsuri Daiko Brasil

A  filial  brasileira, fundada  pelo  professor Naohide Urasaki em 1998, se compromete na tradução do espírito uchinānchu (espírito okinawano): a alegria, o respeito aos mais velhos, a consciência de que tudo  que  temos  hoje  é  graças  àqueles  que  nos  antecederam,  a  beleza  da  cultura representada  não  apenas  pelas roupas  coloridas,  músicas  ou  coreografias,  mas  pelo sentimento que tudo isso nos traz.

Atualmente,  a  matriz  do  grupo  em  Okinawa  é  reconhecida  pelo  governo  devido  ao trabalho  de cunho social que desenvolve com seus jovens. Por meio de manifestações artísticas em que são mescladas danças e músicas tradicionais da ilha, as coreografias e ritmos  contemporâneos fazem uma espécie de fusão do tradicional com o moderno e, dessa forma, aproxima e revela às novas gerações a riqueza e a beleza da sua própria cultura, conservando e revigorando o chamado “espírito uchinānchu”.

E se o tema realmente lhe interessa, super indico uma leitura que mudou minha visão da terra dos meus ancestrais: História da cultura japonesa, do jornalista José Yamashiro.

P.S. Saiba mais sobre esta e outras atividades culturais na Associação Okinawa do Brasil (Rua Tomas de Lima, 72 – Liberdade) e na fanpage do grupo facebook.com/matsuridaiko15.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.