Curiosidades e cenas inusitadas às margens do Rio Pinheiros

Rio_Pinheiros_-_Alto_de_Pinheiros Rio Pinheiros O Rio Pinheiros e sua bacia são alvo de 290 indústrias e dejetos de 400 mil famílias, sendo enquadrado na Classe nº 4 pelo Decreto Estadual nº 10.755/77, tendo como referência a classificação conceituada pelo Decreto Estadual nº 8.468/76. Isso significa que a água é totalmente poluída e só pode ser destinada à navegação e à harmonia paisagística

Moro e trabalho no começo da Zona Leste, por isso, raramente passo ao largo do Rio Pinheiros, mas lembro bem do abandono que aquelas águas viviam quando eu frequentava semanalmente o bairro de Pinheiros, na época em que trabalhei no MdeMulher, da Editora Abril.

Neste final de semana passei várias vezes pela região por conta de atividades profissionais e culturais e me lembrei do quanto o local precisa de apoio!

E lembrei que cenas inusitadas estão tirando o rio da inviabilidade social.

Desde o dia 19 de setembro – Dia Mundial da Limpeza da Água – o poluído Rio Pinheiros é palco de diversas intervenções urbanas idealizadas pelo artista Eduardo Srur.

A iniciativa da Associação Águas Claras do Rio Pinheiros, com realização da Attack Intervenções Urbanas, pretende chamar atenção à importância da recuperação deste rio e de seus afluentes na Bacia Hidrográfica do Rio Pinheiros.

 curiosidades e cenas inusitadas as margens do rio pinheiros

São diversas intervenções artísticas:

– Trampolim está nas pontes Morumbi, Cidade Jardim, Eusébio Matoso e Cidade Universitária, com manequins realistas contemplando a paisagem sobre trampolins azuis.

– Portal são duas grandes instalações concebidas com esculturas e alegorias de desfiles de escolas de samba de São Paulo, instaladas na foz dos córregos Uberaba e Jaguaré.

– Hora da Onça Beber Água faz alusão a um dos principais símbolos da fauna brasileira em risco de extinção, representados por infláveis gigantes colocados nas margens.

A mostra conta com atividades culturais e educativas coordenadas pela Associação Águas Claras do Rio Pinheiros com os alunos das escolas públicas da região. Nas atividades culturais, os alunos conhecerão o artista, dialogarão com o mesmo sobre processos criativos, as relações entre a arte e suas vidas, e entre a arte e a cidade.

A arte desperta e traz oxigênio na mente, provoca e questiona sobre questões importantes da nossa sociedade. Acompanhe aqui facebook.com/artista.srur

Rio Pinheiros O Rio Pinheiros e sua bacia são alvo de 290 indústrias e dejetos de 400 mil famílias, sendo enquadrado na Classe nº 4 pelo Decreto Estadual nº 10.755/77, tendo como referência a classificação conceituada pelo Decreto Estadual nº 8.468/76. Isso significa que a água é totalmente poluída e só pode ser destinada à navegação e à harmonia paisagística

Curiosidades:

– O Rio Pinheiros é um rio que banha a cidade de São Paulo, no estado de São Paulo, e nasce do encontro do Rio Guarapiranga com o Rio Grande e deságua no Rio Tietê.

– A avenida (via expressa) que margeia o rio na verdade se chama Professor Simão Faiguenboim, e é um dos principais eixos da cidade.

– Já foi chamado de Jurubatuba, que, em língua tupi, significa “lugar com muitas palmeiras jerivás”, pela junção dos termos jeri’wa (“jerivá”) e tyba (“ajuntamento”).

– O nome atual foi invenção dos jesuítas, em 1560, quando eles criaram um aldeamento indígena de nome Pinheiros, inspirados na grande quantidade de araucárias (ou pinheiros-do-brasil) que cobriam a região.

– Na época dos bandeirantes, a margem direita do rio tinha um Forte, o Emboaçava, que protegia a vila de São Paulo de Piratininga dos constantes ataques indígenas.

Problemas:

– O Rio Pinheiros e sua bacia são alvo de 290 indústrias e dejetos de 400 mil famílias, sendo enquadrado na Classe nº 4 pelo Decreto Estadual nº 10.755/77, tendo como referência a classificação conceituada pelo Decreto Estadual nº 8.468/76. Isso significa que a água é totalmente poluída e só pode ser destinada à navegação e à harmonia paisagística.

– O cheiro ruim do rio é exatamente do que imaginamos: decomposição dos dejeitos domésticos, o que leva à formação de gás sulfídricoA poluição do rio afeta a vida diária das pessoas que moram e trabalham na região. O fedor pode ser sentido na Marginal Pinheiros, na Linha 9 da CPTM, na ciclovia na margem do rio, e por exemplo, no Shopping Cidade Jardim.

– Um risco à saúde decorrente da poluição é a grande presença de mosquitos da espécie Culex quinquefasciatus em todo o curso do rio. Sabem o que poderia diminuir os insetos? Voltar a ter peixes,  predadores naturais da larva do mosquito.

Gostaria de terminar este post com soluções, mas, nestes 9 anos e meio morando em São Paulo, acompanhei projetos caros como o projeto de despoluição através de flotação, projeto Tietê , projeto Pomar Urbano e Ciclovia Rio Pinheiros, mas nada concreto que realmente mudasse a realidade da morte do rio.

Se souberem de outras ideias, me contem aqui nos comentários e renovem a esperança!

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.