Pena que, para alguns, nada mudou, continuam entoando que “o Brasil é o país do futuro”… #riomais20



20120622-134745.jpg

“Os jovens não são os líderes de amanhã, são os líderes de hoje” Ban Ki-moon na #Riomais20 Voltei do Rio na noite passada, ciente de que, se não pude ver tudo (ninguém poderia, nem mesmo no streaming, onde mais coisas são possíveis), aproveitei o que podia da chance de estar na cidade onde este encontro incrível acontecia. Lendo algumas coisas vi algumas passagens do debate Futuros Sustentáveis: Acelerando o Progresso dos ODMs – Objetivos de Desenvolvimento do Milênio pelas inovações da juventude, no qual Ban Ki-moon, secretário-geral da ONU, disse a frase que coloquei em destaque na imagem da abertura do post:  “Os jovens não são os líderes de amanhã, são os líderes de hoje”. Como não concordar com ele? Afinal, “podemos combinar a tremenda influência de nossos líderes com a paixão dos jovens para criar o futuro que queremos“.

20120622-134835.jpg

Outra participante do debate era a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, que compartilhou um conselho que aprendeu com o seringueiro e ativista Chico Mendes: “para realizar ações não é preciso ter ambição, é preciso ter compromisso. O compromisso faz com que superemos o egoísmo e a ambição. Tenho certeza que se tivéssemos colocado o compromisso no lugar da ambição, nesta conferência, teríamos conseguido meios para o financiamento, a governança necessária para implementar a agenda sustentável e um documento que não estaria sendo tão criticado”.

Pena que, para alguns, nada mudou, continuam entoando que “o Brasil é o país do futuro”, como dizia uma música da minha adolescência… vinte anos se passaram daquele tempo em que achávamos que tínhamos deixado para trás o que nossos pais viveram em termos de opressão política, mas, ao voltar deste encontro no Rio, penso que caímos numa nova opressão, a da necessidade de consumir para ser.

“Não se esqueça, temos sorte
E agora é aqui
Quando querem transformar
Dignidade em doença
Quando querem transformar
Inteligência em traição
Quando querem transformar
Estupidez em recompensa
Quando querem transformar
Esperança em maldição
É o bem contra o mal
E você de que lado está?”
Renato Russo em 1965 – Duas tribos

E qual a diferença real entre a geração dos meus pais, nascidos na década de 1940, jovens nos idos de 1965-70, da minha, nascida na década de 1970 e jovem na década de 1990 e a dos meus filhos, que fazem parte dos jovens (e, espero, agentes de mudança) nesta década de 2010-20? Quem respondeu por mim foi Muhammad Yunus, que eu tanto admiro e pude ouvir novamente ao vivo no evento de terça-feira. Ele também compôs a mesa neste debate que cito no post e resumiu: “essa geração de jovens é a mais poderosa da história da nossa humanidade. Conectados pela internet e por telefones celulares, os jovens hoje estão constantemente em contato uns com os outros.

20120622-134852.jpg

E você, de que lado está nesta realidade?

Google+ Comments

Tags: #riomais20, A Vida Como A Vida Quer, Ban Ki-moon, Brasil, Chico Mendes

Comente, compartilhe! ;)

Uma resposta para “Pena que, para alguns, nada mudou, continuam entoando que “o Brasil é o país do futuro”… #riomais20”

  1. [...] e as redes sociais tem fomentado “primaveras árabes” pelo mundo a fora. No post da @samegui, ela lembrou que alguns continuam entoando que “o Brasil é o país do futuro”, este futuro [...]

Deixe uma resposta

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.