Recital O real e o imaginário

Outro dia abri aqui uma discussão sobre a presença de crianças em eventos de música erudita. Como Fernanda comentou, não dá para levar, é ainda um programa muito de adulto. Mas há como educar os futuros apreciadores de música em programas como este que a Caixa Cultural e o Quinteto Acadêmico Brasileiro oferecem aos pequenos de 3 a 5 de outubro. É um recital interativo com apresentações musicais e informações ao público sobre música (composição, origem, inspiração) e promete despertar nos pequenos o prazer de ouvir e apreciar esta expressão artística.

Faz parte do projeto “O Real e o Imaginário”, realizado pelo Quinteto Acadêmico Brasileiro com participação do ator André Luiz Camargoe o repertório enfatiza canções infantis do folclore brasileiro, que, ao serem apresentadas com enfoque técnico-musical, proporcionam ao público a apreciação mais crítico-participativa. Os organizadores prometem encantar adultos e crianças, pais, filhos, professores, arte-educadores e apreciadores de música em geral com esta oportunidade de conhecer instrumentos, composições e instrumentistas.

A apresentação é dividida em duas partes: em “O Real”, são apresentadas informações básicas sobre música e os instrumentos da formação de um quinteto de sopros (flauta, oboé, clarinete, fagote e trompa), estas informações são intercaladas com músicas do folclore brasileiro. “O Imaginário” convida o público, com a apresentação da obra “Pedro e o Lobo”, a uma estória musicada que tem narração e interpretação do ator André Luiz Camargo para os vários personagens do conto.

Ficha técnica:

  • Anselmo Pereira – Flauta
  • Valquiria Porciuncula – Oboé
  • Lindemberg Cavalcante – Clarinete
  • Ivan Ferreira do Nascimento – Fagote
  • Adriana Scaglioni Lima – Trompa
  • André Luiz de Camargo – Ator

Serviço:

  • Recital interativo “O Real e o Imaginário”
  • De 03 a 05 de outubro, às 15h
  • Na CAIXA Cultural (Praça da Sé, 111)
  • Entrada franca (é necessário retirar ingresso com até uma hora de antecedência)
  • 100 lugares
  • Recomendação de faixa etária: livre

[update] Texto interessante sobre Música Clássica e as Crianças. E a Scientific American Brasil responde: Fato ou ficção: Bebês que escutam música clássica ficam mais inteligentes?

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.