social good

“É pioneira nas conquistas e tradicional nos valores
Se preocupa com beleza e estética e quer se sentir mais bonita
Sonha com uma casa organizada e relaxante
Se orgulha das suas conquistas e valoriza suas novas estreias
Está passando por constantes e profundas transformações
Tem autoestima fortalecida
Investe em estilo e beleza
Usa a moda para expressar atitude
Cuida do corpo e da saúde por meio da alimentação saudável”

Uma revista promete desvendar esta nova mulher da classe média brasileira. A Máxima, publicação mensal que a Abril lança oficialmente hoje, diz que

“Ela é uma mulher pioneira, que cresceu com o próprio esforço, subiu na vida e se orgulha de cada nova conquista, desde o emprego em uma grande empresa à aquisição de carro ou apartamento. Uma mulher que valoriza pequenos prazeres, como colecionar sapatos e investir no lazer.”

Viram a imagem? A área de culinária é a menina dos olhos da @glaugasparetto, responsável pelo blog de AnaMaria Receitas (aka @mreceitas), com quem ontem eu estive lá na editora em reunião de trabalho do MdeMulher. Mas creio que as outras editorias – Moda, Beleza, Culinária, Saúde, Nutrição, Bem-estar, Comportamento, Autoconhecimento, Casa e Decoração – estarão igualmente bem “cobertas” e que as mulheres da emergente classe C vão se sentir retratadas com carinho por lá.

E sabem do que eu gostei mesmo? Seguindo a linha das outras revistas do MdeMulher, a Máxima vai ter o espaço que as blogueiras gostam tanto: a troca de experiências, de testes de produtos a vivências pessoais. Denominado de Clube da Máxima, a proposta vai reunir leitoras fiéis e mantê-las bem perto da redação, participando ativamente de testes de produtos de beleza, transformações de visual (confesso que sempre quis fazer isso! hehehe) e da seção de arrumação de casa e, como não!, participar do blog do Clube da Máxima. Para participar basta contatar a revista por e-mail maxima.abril@gmail.com, preencher a ficha cadastral que enviarão e ser você mesma – afinal, não somos as legítimas representantes desta nova mulher?

😉

Você pode gostar também de ler:
Ponto pacífico: o desenvolvimento da população brasileira levou ao surgimento de um novo tipo de
Em sua noite de princesa, ela dispensou o príncipe e dançou
Eu sou mulher, tenho 26 anos, nasci e fui criada na periferia de São Paulo,
"Eu não vou ao cabeleireiro porque tenho cabelo ruim", esta frase foi dita por uma
Há quem diga que agora a ajuda doméstica acabou. Eu espero que sim. Que agora
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas