destaque / social good / sororidade

 

(Foto de menina na Guiné por dusya123456 no Flickr Creative Commons)

(Foto de menina na Guiné por dusya123456 no Flickr Creative Commons)

Na semana passada eu falei sobre um projeto de empoderamento de mulheres em Angola e sobre o papel que temos para mudar a realidade de meninas pelo mundo. Vocês viram?

Vem comigo para África

 

Muitas pessoas queridas conversaram comigo sobre o projeto, se encantaram com a maravilha do trabalho da estilista Neuzette Papp e tiveram seus corações tocados pelo lado social.

🙂

Outras, porém, me cobraram um jeito de ir além nesta ajuda e de, como falo muito aqui, empoderar meninas.

Tudo bem, Sam, adorei as roupas e achei lindo ensinar deficientes auditivos excluidos da sociedade a costurarem com orientação de um estilista legal! Mas e até eles chegarem nesta idade, como cuidamos das crianças?

Você tem vontade de ajudar a empoderar mulheres jovens em locais distantes, como a #africa? ensinar a fazer diferente e melhor do que a maioria, mas sem impor nossa visão de mundo e nosso padrão? É isso o que tem se propõe o Moda em Angola que, em parceria com a Rede IBAB Solidária. Atuando com o projeto Pamosi, que atende crianças, adolescentes e jovens com deficiência auditiva e visual, e seus familiares, em situação de vulnerabilidade social no bairro São José, em Huambo, Angola. A iniciativa objetiva ensinar jovens com deficiência auditiva, que já sabem costurar, a desenvolver uma coleção de moda com tecidos africanos, e assim proporcionar uma nova fonte de renda para a comunidade local. Lindo, não é mesmo? Hoje e amanhã você pode conhecer o trabalho com quem ajudou a sonhar tudo. A estilista Neuzete Papp faz um bazar rua Gassipós, 187, Vila Mariana, São Paulo, SP, das 11h às 18h, nos dias 02 e 03 de junho. 🙂 E para quem quiser entender bem o projeto, basta olhar com atenção as imagens a seguir deste álbum ou olhar no post http://www.avidaquer.com.br/vem-comigo-pra-africa/

A post shared by (blog) A Vida Quer (@avidaquer) on

Se o seu foco é a infância, pode ajudar num mutirão para produção de bonecas da ONG Compaixão Internacional que a IBAB Solidária abrigará no dia 13 de junho.

O Projeto Compaixão nos convida a pensar nas crianças africanas.

Foi lá que as irmãs Betty e Brenda, ambas biomédicas voluntárias em uma ação humanitária em Angola (elas tinham só 19 e 20 anos, e muita vontade de ajudar o próximo) e passaram três meses oferecendo atendimento nos hospitais de Lubango. Nas horas vagas, davam aulas de dança para crianças carentes e a sala onde aconteciam as aulas era o chão arenoso do deserto Kalahari. O local só tinha metade da sua área coberta por telhas, mas, enfim, isso era “normal” por lá.

“Na verdade ver crianças descalças por todo lado já era comum, mas não pra uma aula de dança. Não na areia quente. Não com pés feridos e sangrando. Não tão perto de nós.”

Na volta ao Brasil, em 2012, elas compartilharam com amigos as necessidades das crianças e planejaram voltar ao país africano, mas dessa vez com chinelos para todas elas.

Por meio das redes sociais elas queriam alcançar a meta de 250 pares. A campanha deu tão certo que os 250 pares se transformaram em quase 20 mil pares, que também foram enviados para países como Índia, Bolívia, Burkina Faso, Guiné Bissau, Haiti e Moçambique, além de regiões pobres do Brasil.

E assim chegamos às bunekas e as crianças da Guiné-Bissau, país do continente africano, o quinto país mais pobre do mundo.

Com uma população de 1,8 milhão de pessoas, possui mais de 20 etnias com línguas, estruturas sociais e costumes distintos. As línguas mais faladas no país são o fula e o mandinga, de populações concentradas no norte e no nordeste, com alguns grupos étnicos importantes, como os balantas e os papéis, na costa meridional, e os manjacos e os mancanhas, nas regiões costeiras do centro e do norte.

O costume em Guiné-Bissau é que as mulheres trabalhem enquanto os homens ficam em casa ou apenas trabalhem no comércio. As mulheres plantam, colhem, cuidam dos filhos e fazem todo tipo de serviço. Enfim, elas são empoderadas, mas merecem nosso amor, acolhida, cuidados. Em especial na infância!

Quer abraçar esse projeto junto com a Rede IBAB Solidária e Mão e Coração e alegrar meninas da Guiné Bissau?  Apareça lá no dia 13 de junho de 2017, entre 9h e 21h. Fica na Rua Gustav Willi Borghof, 480 – Barra Funda, São Paulo – SP (perto da estação Barra Funda de metrô). Eu vou no período da tarde, se você for no mesmo horário, podemos nos ver!

🙂

Venha fazer parte dessa ação, nem precisa saber costurar, pois monitoras estarão ensinando e orientando todo o processo. Faça sua inscrição pelo bit.ly/movimentobunekas

The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas