Qual o signo do seu filho?


O blog Torre de Marfim, que tem um post de Marcos Matamoros discutindo a astrologia (Astrologia, eu quero uma prá viver) e começa assim:

E de repente ficou chique falar de astrologia. Ninguém mais tem vergonha de dizer que acredita no assunto, pelo contrário. No boteco, na televisão, na entrevista no jornal, virou moda se definir em função do signo.

Mesmo convivendo com muita gente que pensa como ele, eu sempre pergunto – ou descubro e guardo para mim – o signo das pessoas. Por quê? Ora, porque eu gosto dos arquétipos do Zodíaco, acredito que a personalidade pode ser formada por uma espécie de DNA simplificado que é sua composição astral. Mas note, eu não leio horóscopo – e nada contra quem lê – porque o que eu gosto é da idéia da personalidade. Assim as pessoas são, mais do que morenas, altas, ruivas, gordas, uma mistura de signo solar, ascendente, signo lunar e etc.  Há alguns dias abri no Pequenos Leitores um tópico sobre signo dos filhos e pais, falando da interação que temos em família e contei como eu comecei a gostar disto. Evellyn, Renata e Michelle também contaram sua experiência lá. No meu caso, tudo começou quando ganhei de presente de minha mãe um mapa astral no aniversário quando era adolescente (daqueles com astrólogo mesmo, que a gente vai a uma “entrevista”) e ouvir um completo estranho falar tudo sobre meus sentimentos mais intimos, que eu mal vislumbrava, me impressionou. Li muito sobre o tema e se cristalizou esta mania de pensar nas pessoas como um mapa a ser lido. Sou aquário com ascendente em aquário e lua em peixes, o que, para quem gosta de astrologia, explica minha hiperatividade, a vocação para estar em redes sociais (muitos planetas nas casas 11 e 12 corroboram isso) e a quedinha tanto por filantropia (terceiro setor e cidania, no meu caso) quanto pela busca espiritual. Gui é peixes com ascendente sagitário e lua em gêmeos, Enzo touro com ascendente câncer e lua em virgem e Giorgio escorpião com ascendente em sagitário e lua em gêmeos.  Aí vi que a Sueli Sueishi, com quem eu já teclei muitas vezes no msn sobre nossos signos – ela é aquário e mãe de escorpiniano como eu – lançou esta pergunta no blog do Desabafo de Mãe. A astróloga e terapeuta floral Sílvia Bacci, também especialista do site Desabafo de Mãe, vai escrever um artigo abordando o signo dos pais e dos filhos, destacando os desafios e vantagens de cada relação. Legal, né? Aqui em casa temos uma família que abre debates, mas na qual a palavra final é dos pais, que apenas abrem concessões e forçam a prole a se empenhar para “ganhar” qualquer coisa diferente. Giorgio tem mais afinidades astrais com o pai e comigo, mas Enzo, tadinho, se sente só (e confesso que exploro taurinas como a madrinha dele Tiffany e a Andréa para entendê-lo). Os meninos, com signos complementares, são grandes amigos e confiam muito um no outro, mas as diferenças de personalidade estão reforçando e eles já são menos companheiros nas atividades. Enzo é mais centrado, “in”, absorvendo tudo e guardando em si, por outro lado mais irado – ou irascível. Giorgio é “out”, spreading ideas and joy all the time, é um ser gregário e necessita compartilhar. Por outro lado, se magoa com a reação negativa das pessoas sobre suas propostas, enquanto que Enzo é um sobrevivente neste sentido. Mesmo assim ele precisa mais da aprovação do mundo do que Giorgio para ser feliz. Que coisa, né? E sua família, como é esta relação? O que tem feito para driblar as diferenças e tirar proveito deste conhecimento para viver melhor? P.S. Gosto muito dos signos chineses, que, por serem anuais, determinam um comportamento geral de turma/geração. Aprendi muito sobre eles com o livro A nova astrologia, de Suzanne White (editora Pensamento).

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook