Quaderni di Viaggioue

“A exposição é uma forma de homenagear o Vincenzo e, ao mesmo tempo, continuar o trabalho dele. É também um presente para Sofia”
Claudia Marques
(organizadora da exposição e viúva do artista falando sobre a mostra e sobre a filha deles que hoje tem cinco anos e pode ser vista numa homenagem feita pelo Varal de Idéias)  

Esta é a época do ano em que todo mundo, de alguma forma, reúne cadernos de viagem. Sejam moleskines lindos de papel, agendas lotadas ou impressões digitais nos smartphones, todos guardamos algumas recordações das férias.

Foi esta idéia que me passou pela cabeça hoje quando vi várias fotos de amigos no Flickr que me deram uma dimensão de suas viagens (o Flickr, além de álbum virtual, é uma rede de relacionamentos e nele sabemos das novidades dos amigos, o que é bem simpático). E em seguida li sobre a exposição Quaderni di Viaggio com desenhos de Vincenzo Scarpellini que está na Caixa Cultural. Este espaço cultural é muito querido para mim, já estive em exposições muito especiais lá com meu marido e filhos, outras vezes tive a alegria de encontrar lá amigos que compartilham do meu interesse por exposições. E sempre é bom encontrar pessoas com quem temos afinidades, aliás, é uma das coisas boas que ganhamos também quando nos aventuramos em viagens. A viagem à Caixa Cultural é bem pouco exigente. O prédio, que abriga também um museu da história bancária do Brasil, fica na Praça da Sé, centro de São Paulo, e a entrada é franca.

Conta a assessoria da Caixa Cultural que o artista plástico italiano Vincenzo Scarpellini se encantou com o Brasil nos anos 1990 e aqui ficou até sua morte (2006), deixando um conjunto de 90 desenhos de suas andanças pelo mundo e que compõem a exposição “Quaderni di Viaggio”. A exposição reúne desenhos cuidadosamente selecionados e e organizados pela viúva de Vicenzo, a jornalista Claudia Marques, e conta com curadoria do crítico de arte Jorge Coli.

A viagem com Vicenzo começa no avião, lembrando o simbolismo que a paisagem vista da janelinha, “aquele chão de nuvens do lado de fora” representava ao artista que de imediato sacava seu caderninho Moleskine e traçava os desenhos que se formavam no céu. No lugar da caneta, um giz pastel. Além do pastel, Vincenzo usava lápis, guache e carvão para dar vida às suas obras.  Partindo desse ritual, ele desenhou lugares como Amazônia, África do Sul, Ilha de Páscoa, Caribe, Pantanal, Rio de Janeiro, Nova York, entre outras paisagens deslumbrantes. Há ainda os diários e registros das férias em sua cidade natal, Ascoli Piceno, e viagens ao Rio de Janeiro e Minas Gerais. Para o público, a mostra proporcionará uma viagem única de cores e imagens, com escalas em São Luiz do Maranhão e Caribe, entre outros destinos. 

Dizem que “Vincenzo era um misto de Marco Pólo com Debret porque seu lugar era o mundo e, para retribuir, ele pintava o que via”. Morava em São Paulo, cidade que amava e desenhava compulsivamente, mas por conta da profissão e do amor ao ir-e-vir, rodou paragens que vão do calor do Pantanal às geleiras da Patagônia. Da selva amazônica ao caos nova-iorquino. Só não viajou mais porque um câncer interrompeu sua vida em 2006, aos 41 anos.

Seus desenhos podem já ser conhecidos do grande público por suas participações em desenhos-reportagem no caderno de Turismo da Folha de S. Paulo.  Vincenzo viajava atento às paisagens, às nuvens e, principalmente, às pessoas e (o que me causou empatia imediata) tinha o hábito de buscar livros, filmes ou músicas sobre o lugar visitado, procurando também comer nos lugares indicados pelos habitantes locais.

Serviço:

  • O que: exposição Quaderni di Viaggioue com desenhos de Vincenzo Scarpellini
  • Quando: 24 de janeiro a 08 de março de 2009
  • Onde: Caixa Cultural (Praça da Sé, 111, São Paulo, SP, próximo à estação Sé de metrô)
  • Quanto: entrada franca

P.S. O curador da mostra, Jorge Coli, realizará uma palestra aberta ao público sobre a obra DE Vincenzo Scarpellini. O encontro acontecerá no dia 27 de janeiro, às 19h, no Auditório do 6° andar da CAIXA Cultural. São 60 vagas. As inscrições devem ser feitas pelo telefone (11) 3321-4400, no horário comercial.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.