Problemas de saúde que não devemos ignorar

20121126-004149.jpg

Já comentei aqui algumas vezes que um dos legados do meu pai é a revista Seleções. Ele sempre leu e me presenteia com assinatura anual, o que é gostoso porque temos assuntos frescos em comum além das histórias dos netos e nos faz bem com as ideias de superação. Sei que parece ultrapassado, mas é uma relação emocional da qual não tenho vontade de me livrar (risos).

Lendo a revista descubro algumas novidades científicas para conferir com mais detalhamento depois e algumas delas viram pautas aqui no @avidaquer. Desta vez me chamou atenção um artigo que falava sobre pequenos problemas de saúde que não devemos ignorar e que pode estar acontecendo com nossos queridos (ou em nosso próprio corpo) sem que tenhamos notado ou tido tempo para ir averiguar.

Veja quais são eles e porque você deve se incomodar e procurar um médico para verificar se é algo mais grave:

  • Perder o canto externo das sobrancelhas. Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, sobrancelhas ralas podem ajudar a diagnosticar casos mais avançados de hipotireoidismo. Claro que o sintoma deve ser avaliado em conjunto com outros, que podem variar de acordo com a idade do paciente, mas nas pessoas mais novas, além do inchaço no pescoço (bócio), costumam surgir sintomas como sonolência, frio, prisão de ventre, pele ressecada e cabelo quebradiço. Já nos mais velhos, a depressão é o sintoma mais comum. O hipotireoidismo resulta de uma glândula tireoide hipoativa, que faz com que o corpo funcione mais devagar, e aumenta os riscos de cardiopatias, glaucoma e demência. Um exame de sangue revela se os níveis do hormônio estimulante da tireoide (TSH) ou do hormônio tiroxina estão baixos demais. Saiba mais no artigo interessante da SBEM 10 coisas que você precisa saber sobre o hipotiroidismo.
  • Estômago inchado. Parece coisa de maluco, mas a dica aqui vem da equipe de Ginecologia do Instituto Nacional do Câncer (INCA), informando que o sintoma com mais alto risco de câncer de ovário é o aumento persistente do tamanho do abdome que, se acompanhado de outros sintomas – como a dificuldade de comer e sensação de estar cheia ou estufada, além de dor pélvica, nos casos mais avançados – pode ser sinal de câncer pélvico. A sobrevida chega a quase 100% se o diagnóstico for precoce, mas diminui exponencialmente se a paciente esperar muito para ir ao médico. Para tirar a cisma, o ginecologista fará um exame interno à procura de cistos e pode, então, recomendar exames de ultrassom e de sangue. Saiba mais sobre câncer de ovário no especial do site do INCA.
  • Dentes desalinhados. Esta me pegou e me deixou ressabiada porque, afinal, mesmo com dentes desalinhados eu cuido muito da higiene bucal. Mas talvez alguns casos sejam mais complicados mesmo e possam levar à periodontite, uma evolução da gengivite é uma inflamação da gengiva que pode comprometer um ou mais dentes. Segundo a  Sociedade Brasileira de Periodontologia, além de amolecer os dentes e causar mau hálito, a periodontite está ligada a problemas bem graves, como doenças cardiovasculares e diabete. Pesquisas também sugerem que mulheres com periodontite podem ter bebês prematuros e de baixo do peso. A recomendação é fazer acompanhamento constante com o dentista e e considerar eventualmente um tratamento ortodôntico.
  • Pé chato. O pé chato (ou planovalgo, como chamam os médicos) característico do pé sem curvatura pode gerar quadros dolorosos nos próprios pés, decorrentes do mau posicionamento dos joelhos, desnível dos quadris e da bacia, e alteração compensatória da coluna. A Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia sugere que maioria desses problemas pode ser corrigida com exercícios de fortalecimento e uso de palmilha, um dispositivo ortopédico utilizado dentro do sapato para corrigir a postura, assim como com sapatilhas e botas ortopédicas (órteses) para sustentar o arco do pé. No caso de adultos, deixar de calçar sapatos com salto alto e perder um pouco de peso também ajudam.
  • Ronco. Este é um problema que, literalmente, me tira o sono com frequência e pode acontecer também com outros casais. Quem sabe se estas dicas ajudam no processo de convencimento do seu parceiro e o fazem procurar um médico? Segundo o Instituto do Sono pessoas que roncam têm chances maiores de ter pressão alta, cardiopatias, AVC, diabete tipo 2 e colesterol alto do que pessoas que só roncam de vez em quando, mas ainda assim, elas esperam, em média, 18 anos para procurar tratamento. Não tratado, o ronco pode se transformar em apneia do sono, que provoca parada respiratória momentânea, fazendo a pessoa despertar seguidas vezes, causando cansaço constante n os presentes.  Quem tem esse problema se sente constantemente cansado. De acordo com estudos recentes, acredita-se que a apneia seja um dos motivos de grande parte dos acidentes de trânsito. A apneia do sono pode ser controlada com diversos tratamentos, incluindo um aparelho conhecido pela sigla CPAP (continuous positive airway pressure), que sopra ar pelo nariz para impedir que a garganta se feche. Mas emagrecer, parar de fumar e reduzir o consumo de bebidas alcoólicas são as melhores soluções de longo prazo.
Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook