Cartaz ou Prezi? A gente se surpreenderia se as escolas permitissem!

ainda tem sentido fazer cartaz em tempos de prezi

Saber que em tempos de Prezi (que #aos14 usa bem!) ainda se pede trabalho (pesado) em cartolina, desanima! E olha, que ele prefere o papel a tudo quando está desenhando (o que faz muito e gosta), não tem caneta para iPad ou mesa digitalizadora para desenhar direto que o demova da ideia de criar tudo e colorir à mão!

Ainda bem que o pessoal da Faber-Castell Brasillembra da gente sempre e manda insumos para as#ideiasfeitasamao!

Mas pelo menos o filhote vivencia o “dever cumprido” e o prazer de atingir metas! Fica como achievement point (conquistas), como os objetivos extras que você pode alcançar no meio do jogo!

Sobre os cartazes feitos à mão, no papel, acho que esta atividade perde o sentido quando os estudantes são adolescentes, usuários nativos de redes sociais (por exemplo, meu filho de 14 anos nunca usou internet discada) e podem fazer mais, sentir o desafio e imaginar possibilidades mais reais e próximas da sua visão de mundo.

Acho que seria interessante sugerir: 
– Faça um trabalho visual sobre divisão celular!
E deixar o aluno livre para escolher a mídia que gostaria de usar.
Ainda teria gente fazendo cartaz, mas outros fariam novidades, usariam power point, prezi, vídeos e fotos.

A foto criou uma discussão saudável também no meu instagram. Sabe o que foi engraçado neste papo todo? Meu filho não reclamou de nada (a carinha dele era cansaço e chateação com a mãe fotografando). Ele trabalha bem e gosta da escola.

Quem se incomodou fui eu, que me considero uma “descontente otimista” da educação e tenho reconsiderado muita coisa.

Para mim o professor deveria ter dado opção. Para meu filho, estava ótimo. Ele desenha super bem e fez a tarefa com prazer, completou a tarefa e considerou que fez bem. Eu queria que ele fosse desafiado. Acho que o meu papel e o da escola é este: desejar mais!

A gente se surpreenderia se as escolas permitissem!

Precisamos rever os conceitos educacionais para ontem, sim ou com certeza?

P.S. No meu update do Facebook com a foto acima, Roseli Gonçalves me contou que na semana passada a filha fez um trabalho escolar em grupo usando o Skype, pois o grupo não poderia estar junto no mesmo espaço físico. Novos tempos…. falei deles num  post da Disney Babble Brasil no qual eu contava das novidades nesta área por aqui: “Quando o tempo de tela passa a incluir as atividades escolares – Esperamos que os filhos estudem com papel e lápis, mas eles têm ideias bem mais tecnológicas para o dia a dia usando Cloud Computing e grupos de Whatsapp

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.