Prá inglês ver!

Li hoje na revista História Viva: a lei de extinção do tráfico negreiro assinada em 1831, que nunca foi aplicada, e foi uma imposição da Inglaterra (na época a potência manda-chuva do Planeta), deu origem à expressão brasileira.
Curioso, mas tb uma pena notar que tanto tempo depois ainda temos potências que se acham no direito de mandar e desmandar no planeta inteiro, sempre buscando apenas seus interesses. Li na revista Época da semana passada uma matéria que contava do genocídio que acontece no Sudão e que não recebe atenção das “forças de paz” do mundo porque a China, que depois do embargo econômico do ocidente se tornou a compradora da maior parte do petróleo que o país produz, veta as ações neste sentido no Conselho de Segurança da Onu.
Mesmo para quem é meio desligado e só fica sabendo destas tragédias pela mídia, os episódios do E.R. e da novela Páginas da Vida e filmes como O Jardineiro Fiel e Amor sem Fronteiras podem ajudar a compreender o que se passa, mas para entender mesmo, acho que só juntando tudo com Syriana e Munique. Mas dá uma depressão!
Um final de semana sem depressão nem filmes políticos a todos.
Eu vou para Santos!

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.