Política e novas mídias: elas coexistirão em paz?

Há alguns dias, na esteira da troca de chefia do Ministério da Casa Civil, li algumas notícias tendendo ao sensacionalismo sobre o fato da nova ministra, Gleisi Hoffmann, ter usado um iPad para ler seu discurso de despedida do Senado. O fato da ministra ter usado o tablet não me surpreende – quando estive no lançamento do aplicativo do Senado Federal para iPhone e iPad eu já comentara que ela parece ser early adopterheavy user de tecnologia – mas me deixa boquiaberta que os colegas jornalistas e blogueiros considerem que só nós podemos ser conectados com as novas tendências.

Nem preciso comentar que o Senado é um dos espaços do governo que se modernizam (pelo menos tecnologicamente) com mais rapidez, pois creio que a população sabe que a TV Senado foi pioneira na transmissão de suas sessões para o público, assim como os leitores do @avidaquer lembram que há mais de um ano estive lá num workshop para os jornalistas da TV e Agência Senado. São apenas dois de muitos exemplos da tentativa que vejo do parlamento em nos chamar para acompanhar e “tomar conta” do que é nosso e está sendo decidido por lá, em tempo real, podendo (sempre) contar com nossa intervenção – e aqui digo que infelizmente vejo muito mais gente criticando as leis depois que elas são votadas do que acompanhando-as antes de de sua votação, quando há tempo hábil para se fazer ouvir e mudar algo.

Pois é neste caminho, que a Agência Senado chama de “esteira aberta pelos novos meios de comunicação”, que hoje acontece no Senado o Seminário Política e Novas Mídias e que pretende discutir “como a popularização das Redes Sociais pode ser utilizada para aproximar o Parlamento da sociedade brasileira“.

E o que ouviremos por lá?

Quem abre o evento é o presidente do Senado, José Sarney, com o painel Mídias Sociais: Um Novo Diálogo entre o Parlamento e a Sociedade, no qual se discutirá como o uso desses recursos pode alavancar uma trajetória política, garantir o êxito nas eleições e, ainda, manter um diálogo permanente com o cidadão. Como se sabe atualmente a atuação política de cada parlamentar não se torna conhecida tão somente por meio dos tradicionais veículos de comunicação, mas se revela ainda no espaço democrático e livre nas Redes Sociais. A conversa com Sarney terá participação de Manoel Fernandes (Bites Consultoria), e de Maria Claudia Bacci (FSB PR Digital), que debaterão o diálogo entre o parlamento e sociedade por meio das mídias sociais, com moderação de Fernando Cesar Mesquita, Secretário de Comunicação Social do Senado.

E como acompanhar e reagir às críticas e sugestões feitas nas redes sociais? O monitoramento das rede sociais e sugestões de como aproveitar melhor as reações populares nesse processo de diálogo com o público são tema da participação de @interney, Edney Souza (Agência Pólvora,). A seguir Fernando Palacios trará conceitos de Storytelling, a arte de contar histórias e como aliar esta arte milenar com as novas tecnologias para levar ao cidadão às grandes questões discutidas no legislativo.

Tanto o storytelling quanto o marketing político, tema da participação de Bruno Hoffmann, me parecem já conhecidos dos parlamentares, mas creio que a análise do uso das ferramentas de comunicação digital nas últimas eleições é sempre interessante, assim como o assunto trazido por André Telles (Mentes Digitais), que é gestão de mídias sociais e como essas ferramentas podem ajudar no diálogo com o cidadão e no gerenciamento de crises e o comportamento do cidadão e a revolução das novas mídias, tema da palestra do professor Marcelo Minutti.

No final, o que todos contam como o mais importante nas mídias em geral? Liberdade de Expressão e Internet. Senadores e especialistas  vão debater como conciliar a liberdade de expressão com o anonimato peculiar proporcionado pela rede, numa conversa que reune Gleisi Hoffmann, Ana Lúcia Novelli (coordenadora do Alô Senado), Cora Rónai (do jornal O Globo) com moderação do vice-presidente de Relações Governamentais da Coca-Cola, Jack Corrêa. O tema estará presente também no painel de encerramento, Liberdade de Expressão e a Internet, que terá como convidada especial Gleisi Hoffmann, irá tratar do direito de manifestação de idéias e de posicionamentos políticos partindo da pergunta: Como é possível conciliar a liberdade de expressão com o anonimato peculiar proporcionado pela rede?

Gostaria de estar lá, mas, como foi impossível comparecer, acompanharei virtualmente nos tuites da @Agencia_Senado @vocenosenado. E para quem puder ver e ouvir, tem uma promessa de transmissão em vídeo aqui.

[update]
RT @interney: Apresentação que fiz ontem no Senado Federal – Monitoramento das Mídias Sociais: http://ney.me/lViaSC

[/update]

Posts Relacionados:

 

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook