blogosfera / social good

Na sexta-feira, 11/12, se falou muito na internet sobre as informações divulgadas na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2008 sobre acesso à internet e posse de telefone móvel celular para uso pessoal. Sabe-se agora que o Brasil tem cerca de 56 milhões de usuários de internet com 10 anos ou mais tiveram acesso à web durante o período de três meses anteriores à pesquisa.

A idade dos usuários é que me chamou atenção e me fez escrever sobre o tema no Mãe com filhos. De acordo com os resultados do Pnad, a faixa etária do internauta está associada ao local de conexão, de acordo com a Pnad e daí constatamos que as lan houses apareceram no topo da lista dos usuários com idades entre 10 e 17 anos, com 53,3%, seguido dos domicílios, com 43,1%. Na outra faixa etária que mais cresceu, acima dos 40 anos, é o contrário: domicílio ganha (78,6%) do local de trabalho (50,9%).

”]Pesquisa_Nacional_por_Amostra_de_Domic_lios_Pnad_2008_sobre_acesso_internet_e_posse_de_telefone_m_vel_celular_para_uso_pessoal.bmpEm 2008, a idade média dos internautas era de 27,6 anos. Acessava de casa o internauta com idade média de 30,6 anos, e do local de trabalho 34,6 anos. Desde 2005 alguma coisa mudou: são 11,2% de pessoas com 50 anos ou mais, grupo que representa 24,8% da população total, mas apenas 8% daqueles que acessaram a internet.

Este é um fator que eu notei nas visitas ao Amigos do Planeta. Muita gente mais madura empenhada e animada com a possibilidade de aprender, sem medo de ter que voltar a estudar para tirar o atraso e alcançar os filhos e netos. Mas a internet ainda é dos adolescentes. O grupo de 15 a 17 anos utiliza mais (62,9%) e foi o que mais cresceu desde 2005 (quando somava 33,7%).

E para quem não acredita que a inclusão digital pode ser boa, uma informação: o uso de internet também está associado à escolaridade, pois quem acessa a web têm 10 anos de estudo em média, contra 5,5 anos de estudo das pessoas sem conexão. Quanto maior a escolaridade, maior a proporção de pessoas conectadas: 80,4% entre aqueles com mais de 15 anos de estudo; 57,8% entre pessoas com 11 a 14 anos de estudo, 38,7% entre aqueles com 8 a 10 anos de estudo; 23,4% para os que têm entre 4 e 7 anos de estudo e, por fim, 7,2% entre aqueles sem instrução ou com menos de 4 anos de estudo.

E para quê o brasileiro usa a internet?

Se em 2005 cerca de 71,7% dos internautas se conectavam para fins educacionais e de aprendizado, em 2008 os dois principais motivos são outros: comunicação com outras pessoas (83,2%) e atividades de lazer (68,6%). Mas além do aprendizado, que está em terceiro lugar, foram listados leitura de jornais e revistas (48,6%), busca de informações e outros serviços (25,5%), compra ou encomenda de bens e serviços (15,4%), interação com autoridades públicas ou órgãos do governo (15,2%) e transações bancárias ou financeiras (13,1%).

As pesquisas mostram que as mães são as últimas a usar o computador compartilhado da família e ainda têm a missão de controlar o uso da internet e fazer dela um benefício para os filhos. Nosso segredo é trocar ideias com outras pessoas, aprender com a experiência: as mulheres consideraram mais do que os homens o uso da web para se comunicar com outras pessoas (84% para elas, 82,3% para eles). A segunda e terceira posições divergem entre os sexos: para elas o segundo principal motivo para usar a web eram educação e aprendizado (69,4%), enquanto para eles eram atividades de lazer (72,8%).

Será que a pesquisa é uma amostra do que acontece em sua família também? Conte para nós se tiver alguma coisa diferente por aí!

😉

Você pode gostar também de ler:
Frequentemente recebo de amigos notícias ligadas ao empreendedorismo jovem. Muitos me mandam com algum recadinho
Taí um encontro que eu adoraria ter presenciado - e espero que um dia a
"O que vai mudar é que o professor que despeja automaticamente os conteúdos será mesmo
"Promover a diversidade significa construir relações de qualidade com pessoas diferentes, sem discriminação, compreendendo as
Li há alguns dias dados de uma pesquisa que mostrava que mais de 50% dos
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas