Eu cuido do meu destino – e você? É um turista sustentável? #passaporteverde2014

Falei sobre o Guia do Consumidor Turista e o Centro Integrado de Proteção ao Consumidor e agora trago outra proposta interessante e simpática ligada ao turismo na Copa é a campanha Passaporte Verde.

O projeto do Ministério do Meio Ambiente apresenta formas simples para que os viajantes tornem o turismo uma atividade sustentável, que respeita o meio ambiente e a cultura e, ao mesmo tempo, promove o desenvolvimento socioeconômico do país.

A ideia é simpática:

“As melhores viagens são aquelas que deixam lembranças para toda a vida, em que nos percebemos, nos mesclamos a novas culturas, e parte delas fica em nós. A sustentabilidade é como uma boa viagem: uma vez que temos contato com ela, com seus valores e significados, com seu ritmo e padrões, também somos modificados, nunca mais seremos os mesmos.”

O convite é para cada um fazer escolhas mais sustentáveis ao planejar e vivenciar momentos de lazer, como o turismo, partindo do pressuposto de que cada passeio favorece a adoção de novos hábitos em nossa vida diária.

Quando saímos da rotina, deixamos o carro em casa ou nos desligamos dos aparelhos eletrônicos que nos cercam e aproveitamos a paisagem – caminhando, andando de bicicleta ou mesmo viajando de carro com consciência – ou passando tempo com a família ou os amigos, estamos indo ao encontro da qualidade de vida, para longe do estresse.

O Passaporte Verde propõe preencher esse momento com mais experiências autênticas, roteiros sustentáveis e umas ideias simples de como ter um impacto menor ao visitar outros lugares. No site há tanto as dicas para o dia-a-dia quanto roteiros com uma pegada sustentável. Gostei em especial porque dão a chancela a estabelecimentos, que, aliás, podem se inscrever no site para serem avaliados e inseridos no grupo.

Os critérios são bem interessantes pois mostram que medidas simples trazem benefícios visíveis para os empreendimentos engajados:

  • Redução efetiva nos custos operacionais.
  • Garantia de um melhor posicionamento do estabelecimento junto ao público.
  • Possibilidade de obter um novo canal de promoção através do portal, do aplicativo e das redes sociais da campanha.
  • Possibilidade de utilizar os materiais promocionais da campanha (adesivos, cartazes, displays).
  • Maior motivação e engajamento dos funcionários com a causa ambiental.
  • Contribuição para o destino turístico como um todo.

Não é uma certificação, mas um começo.

Como consumidora, espero que a introdução de práticas de sustentabilidade nos estabelecimentos turísticos faça com que os empreendedores e os consumidores tenham interesse em se aprofundar e consolidar suas práticas que busquem os selos e certificadoras.

No Brasil, recomenda-se a certificação na Norma ABNT NBR15401 e quem se animar pode buscar certificações internacionais, como as ligadas ao Global Sustainable Tourism Council.

🙂

P.S. Eu só descobri agora, por conta da Copa 2014, mas a campanha foi lançada em 2008 em uma parceria do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – PNUMA, os Ministérios do Meio Ambiente e do Turismo do Brasil, o Ministério Francês do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e outros parceiros. Hoje em dia está em países como Costa Rica, Equador e África do Sul, e já é referência internacional em disseminação de informações sobre turismo sustentável, contando com parceiros como a Associação Brasileira de Operadoras de Turismo – BRAZTOA, a Associação de Hotéis Roteiros de Charme, e a Fundação Amazonas Sustentável (FAS).

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.