Pare de financiar o ódio

pare-de-financiar-o-odio

Hoje a Lego anunciou que irá parar de anunciar seus produtos no jornal inglês Daily Mail, após uma forte campanha realizada por ativistas da “Stop Funding Hate” (Pare de financiar o ódio* tradução livre), ONG inglesa criada que convida grandes empresas a pararem de anunciar em jornais acusados de promover “o ódio, a discriminação e demonização dos imigrantes”, como the Sun, Daily Mail and Daily Express.

A empresa de brinquedos dinamarquesa, estava fazendo uma ação promocional no Daily Mail, que dava brinquedos nas edições de final de semana do periódico.

@Stopfundinghate Nós finalizamos o acordo com o The Daily Mail e não planejamos nenhuma atividade promocional com o jornal. (Tradução livre)

A ONG Stop Funding Hate exorta os anunciantes a repensar o seu “apoio” para os jornais que fazem campanha contra os refugiados, principalmente contra as crianças, a Lego é a primeira grande empresa em apoiar com a solicitação dos ativistas.

Essa campanha é muito interessante, nos tempos atuais pois vemos as manifestações de ódio, racismo e preconceito já nos primeiros dias da era Trump nos EUA

https://twitter.com/ManikRathee/status/796896423023443968

Uma lista de manifestações incidentes racistas, depois da vitória do Donald Trump.

E se isso acontecesse no Brasil?

Como seria se os grandes anunciantes aqui aderissem este tipo de campanha, e paracem de anunciar em grandes jornais, revistas, portais e emissoras de televisão que promovem veladamente o preconceito, racismo, sexismo?

Pode parecer utópico, mas a criação da consciência e respeito é um projeto que deve ser construído tijolo por tijolo…

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.

Christina Santos

Christina Santos, química, com especialidade em pesquisa e desenvolvimento de cosméticos, adora gatos e pipoca e tem grande interesse em meio ambiente, e sustentabilidade corporativa.