destaque / relacionamentos

oxitocina panaceia universal

declarei amor por essa substância produzida no cérebro e que estava associada, até 25 anos atrás, a processos fisiológicos envolvidos na maternidade – as contrações uterinas no momento do parto e a liberação de leite durante a amamentação.

Celebrei também quando estudos científicos comprovaram que o espectro deste amor era ainda maior, pois estudos mostram que as relações de amizade e do amor romântico também são alimentadas por oxitocina – tanto em mulheres quanto em homens é ela a substância do amor em todas as suas formas.

Por isso gostei quando vi uma lista com 10 razões pelas quais a oxitocina é provavelmente a molécula mais incrível no planeta.

Veja se não dá vontade de sair abraçando todo mundo:

Motivos para estimular o hormônio do amor diariamente 

1. Fácil de obter.

Uma das coisas mais curiosas sobre a oxitocina é que qualquer um de nós pode “obter” um pouco de oxitocina em qualquer altura e em qualquer lugar. Basta apenas abraçar alguém com vontade ou apenas cumprimentar. Simples atos de contato pessoal são responsáveis pela libertação de níveis reduzidos de oxitocina. E o melhor é que os efeitos desta substancia libertada perduram. Há inclusive algumas provas de que observar ou pensar em alguém com boas intenções pode também libertar oxitocina. E isto também acontece com os animais. Quando tratamos, brincamos, afagamos os nossos animais de estimação também libertamos oxitocina. Para aqueles ou que não produzem suficiente (ou pelo menos acham que), a oxitocina pode ser facilmente sintetizada e administrada como uma droga e com menos efeitos adversos que ansioliticos ou anti-depressivos.

2. Uma “poção de amor” por si só

Chamada com frequência de “molécula do amor”, a oxitocina está tipicamente associada à facilitação dos casais em estabelecer uma relação de intimidade e de ligação, juntamente com a dopamina e a norepinefrina. Mas não influenciam apenas a ligação, mas também o desejo e mesmo excitação sexual, ajudando os homens a manter por exemplo as erecções durante o ato sexual – grandes quantidades de oxitocina são libertadas enquanto o ser humano se encontra excitado sexualmente, principalmente durante um orgasmo. A sua prevalência após a libertação também explica a muito natural vontade de carinho e meiguice após o orgasmo.


3. Ajuda as mães a serem mães

Verdade, a oxitocina é parte indispensável para os partos e ligação entre mãe e bebê. A oxitocina ajuda as mães durante o parto ao estimular e provocar as contrações uterinas (e é por causa disso que muitas vezes é administrada, como Pitocina) durante o trabalho de parto. Após o parto, as mães estabelecem espontaneamente uma ligação química de intimidade e de confiança com o seu bebê, tal é quantidade de oxitocina libertada e à solta no cérebro. As mães passam o hormônio aos seus filhos pela amamentação, outro momento responsável pela libertação de grandes quantidades de oxitocina.


4. Reduz medos sociais

Dada a sua habilidade em quebrar barreiras sociais, induzir sentimentos de otimismo, aumento de auto-estima e clima de confiança, a oxitocina tem um papel importante para ajudar as pessoas a ultrapassar determinadas inibições sociais e medos. Estudos mostram que a oxitocina pode facilitar o tratamento de timidez debilitante ou ajudar determinadas ansiedades sociais ou perturbações de humor. Pensa-se também que pode ser benéfica no tratamento de perturbações pós-traumáticas e na recuperação de “feridas” resultantes de relacionamentos difíceis.

5. Cura e alívio de dores

Espantosamente, a oxitocina tem também propriedades anti-inflamatórias o que lhe confere atributos para poder também utilizada no tratamento de feridas físicas. Estudos mostram também que um aumento nos níveis de oxitocina no cérebro pode contribuir para a redução da sensação de dor – desde simples enxaquecas, cólicas ou dores generalizadas no corpo. Dito isto, um truque útil poderá ser: desenvolver alguma das atividades libertadoras do hormônio quando sentir dor, embora saibamos o quão difícil isso é. Por isso, muitas vezes brincar com seu filho, estar na companhia de amigos ou fazer amor pode aliviar muitas dores físicas.

6. Um apoio à dieta

Surpreendentemente, a oxitocina também pode ajudar a prevenir obesidade em algumas situações. Investigadores observaram que ratinhos com deficiências nos receptores de oxitocina desenvolviam obesidade mais tarde (desde que mantendo uma alimentação normal). Cientistas acreditam que este hormônio pode ser também responsável por uma série de efeitos metabólicos favoráveis, seja nos ratinhos seja em humanos. Aliás, ao providenciar infusões de oxitocina aos ratinhos com deficiência nos receptores de oxitocina Moreover, o seu peso regularizou. Os ratinhos também demonstraram que reduzida intolerância à glucose e resistência à insulina.

7. Um anti-depressivo

A ligação da oxitocina com a depressão foi evidenciada nos efeitos em mães com o síndroma pós-parto. Investigadores concluíram que algumas novas mães sofriam deste síndroma por terem liberado baixos níveis de oxitocina durante o trabalho de parto. Estudos mais recentes de níveis de sangue e de fatores genéticos em pacientes deprimidos revelaram alguma potencialidade da oxitocina no tratamento de depressões e perturbações de ansiedade.


8. Alívio do Stress

Após tudo isto, não é surpresa a relação entre a oxitocina e o alívio do stress. Este efeito é de alguma forma periférico, no entanto, tudo é bom quando nos permite aliviar de sensações de stress. Foi observada a possibilidade de reduzir o cortisol e baixar a tensão arterial e mesmo de facilitar a digestão (que é altamente influenciada por altos níveis de stress). Curiosamente, tanto oxitocina como receptores de oxitocina foram encontrados no trato intestinal.
9. Aumenta a bondade

Algo que tanto pode ser visto como algo bom e mau ao mesmo tempo, foi estabelecida também uma relação entre a oxitocina e o sentimento de generosidade nos humanos. Biólogos evolucionistas, particularmente aqueles que defendem a teoria do gene egoista, têm se debatido para perceber o porquê de em algumas situações, as pessoas darem apenas porque sim. Muitas linhas de investigação estabeleceram forte relação entre a oxitocina e sentimentos de empatia. Num estudo que requeria que pessoas dessem dinheiro com um estranho, infusões de oxitocina revelaram que os sujeitos tornavam-se 80% mais generosas que sujeitos sobre o efeito placebo.

10. É o que nos torna humanos

Por outras palavras, com tudo o que mencionamos neste artigo torna-se claro que não seríamos propriamente humanos sem esta molécula. No entanto, convém salientar que enquanto que a oxitocina gera em geral confiança no grupo ou contexto em que inserimos, também pode produzir o sentimento contrário quanto aos grupos a que não pertencemos, deixando por isso de ser uma “droga perfeita” como em alguns casos é “apregoada”. Dito isto, a oxitocina desempenha um papel crucial no desenvolvimento da nossa habilidade de manter relacionamentos, permitindo-nos empatizar, confiar e mesmo amar-nos uns aos outros.

🙂


Estatísticas