a vida quer

Ter família da cidade litorânea é um convite para fazer experiências diferentes. 

  

Para nós, frequentar um clube naval (do qual nossa família que mora no Rio é sócia), traz experiências náuticas muito especiais.

  
Neste começo de mês estivemos passeando por lá e, além de praia e piscina, neste outono tropical, teve muito esporte aquático, principalmente Stand Up Paddle, um esporte cada dia mais popular no Brasil. 

E não é só aqui: no mundo todo a migração de alguns atletas de windsurf, surf e outros esportes de remo, fazem do SUP. 

  

Stand Up Paddle ou SUP nada mais é do que uma variação do surf, praticado em pé e com o uso de remos.

E o litoral brasileiro é a combinação perfeita para a prática, concordam?

  
Antes de experimentar (e ver meu filho gamar) eu não entendia porque esse esporte estava na moda. Agora entendo.

O SUP trabalha todo o sistema cardiovascular, tonifica a musculatura de membros inferiores e superiores e queima em torno de 350 calorias por hora de prática. Não bastasse isso, para se manter em equilíbrio na prancha sobre a água,  o praticante precisa manter suas coxas e abdome contraídos, o que é um ótimo exercício para a tonificação destes músculos – e dos glúteos também. Além disso, ao remar, o indivíduo fortalece toda musculatura relacionada com os ombros (Peitoral, Deltóide, Trapézio entre outros músculos) e ajuda a fortalecer as articulações dos tornozelos, joelhos e quadris também. Quem voltou desses benefícios numa entrevista foi o treinador Rodrigo Viegas. 😉 

Você sabia?

✔️ o SUP é uma forma antiga de surf que ressurgiu como uma maneira de os instrutores de surf administrarem os seus grandes grupos de alunos, pelo fato de estar em pé na prancha lhes dar uma maior visibilidade 

✔️ há vestígios de uma embarcação peruana chamada “Caballitos” ou “Caballitos de Totora” que podem também possuir a detenção da origem do esporte no Peru 


Estatísticas