cidadania / destaque

 

Quem viajava para cidades conectadas sonhava com uma cidade mais conectada e com Wi-Fi gratuito e livre. Agora parece que São Paulo finalmente se coloca como uma dessas cidades. 

São Paulo é a cidade com maior inclusão digital da América Latina em função do projeto WiFi Livre. 

O WiFi Livre SP é um programa que visa tornar a internet banda larga acessível ao usuário, em locais públicos de grande circulação de pessoas na cidade, entre praças e parques, além de promover a ocupação desses espaços. 

São 120 locais que garantem que cada distrito da cidade tenha pelo menos uma praça conectada. Os pontos estão distribuídos da seguinte forma: 23 na região central, 18 na zona norte, 36 na leste, 28 na sul e 15 na zona oeste. 

(Segundo a prefeitura, há uma maior concentração de pontos de wifi livre no centro, pois a região concentra significativa parte dos empregos da cidade.)

Os usuários terão direito a uma velocidade individual e efetiva de 512 kbit/s, estável e de qualidade, suficiente para assistir a vídeos, baixar arquivos e navegar pela Internet. Qualquer cidadão pode se conectar desde que possua um aparelho compatível com o padrão wifi. Não é preciso ter cadastro para navegar.

  

Os 120 pontos de internet gratuita oferecida pela Prefeitura podem ser conferidos no site do Programa WiFi Livre SP.

  

E quem paga essa conta?

Ao que tudo indica (e não tive tempo para averiguar com cuidado), quem assume a conta é a prefeitura, ou seja, nós. Mas o prefeito afirmou que “tem muito parceiro privado que quer se juntar à Prefeitura para garantir internet grátis [à população]”. O secretário municipal de Serviços afirmou que está estudando junto à SP Negócios a expansão da rede para outras praças e que uma das propostas apresentadas trata da possibilidade de inserção publicitária nos locais onde o serviço está disponível ou até mesmo de modo virtual, mediante a conexão do usuário. 

Segundo informações oficiais, o contrato firmado pela Prefeitura prevê controle de qualidade, estabilidade de conexão e garantia de banda. Todos os dados que circularem na rede serão protegidos por confidencialidade e não haverá qualquer restrição no conteúdo acessado. O prestador de serviço não está autorizado a filtrar o tráfego por IP de origem ou de destino, por aplicação ou por conteúdo, exceto para cumprir legislação em vigor. As redes possuem um sistema de gestão que permite detectar e evitar possíveis incidentes e cumprir determinações legais e judiciais.

Vamos continuar acompanhando!

E se aí, na sua cidade, tiver um projeto assim, por favor, conte para nós! 


Estatísticas