destaque / educação / entretenimento

livros-do-vestibular-da-fuvest

Tem gente querendo prestar vestibular neste ano?

Confira a lista completa para lista de livros obrigatórios para as seleções de 2017, 2018 e 2019 da Fuvest, que tem mudado a lista a cada três anos. E aproveite para fazer download gratuito das obras que fazem parte da coleção de domínio público, ou seja, você pode baixar e ler (no seu smartphone, tablet, computador, e-reader) sem custos.

  1. Iracema – José de Alencar
    Publicado em 1865, Iracema, obra de José de Alencar, faz parte da tríade dos romances indianistas (juntamente com O Guarani e Ubirajara), sendo considerado o mais maduro deles, pois admite várias interpretações, com uma excelente estrutura narrativa. É considerado um poema em forma de prosa, com características épicas, em que tanto Martim como Iracema são heróis. Iracema é uma típica heroína que representa o romantismo: espera o amado, se entrega a ele, fica com saudades, e morre por essa saudade.
  2. Memórias póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis
    Ao narrar a história do anti-herói Brás Cubas, Machado de Assis inaugura o realismo no Brasil. A originalidade do autor – responsável por algumas inovações na literatura nacional – já se escancara no início da obra. O protagonista começa a contar sua vida pelo final: a morte.
    No site do MEC tem um especial de Machado de Assis que recomendo: machado.mec.gov.br.
  3. O cortiço – Aluísio Azevedo
    É uma importante obra do naturalismo, que ajuda a entender a imigração ocorrida no Brasil no século 19 e discutir o determinismo. O Cortiço retrata as atitudes submissas do brasileiro perante o imigrante europeu.
  4. A cidade e as serras – Eça de Queirós
    Eça de Queirós é um dos mais importantes escritores da língua portuguesa. Este romance foi desenvolvido a partir de um conto de Eça e lançado postumamente. A obra trata dos conflitos do homem urbano, preso às tecnologias e confortos dos grandes centros, mas que perdeu o contato com a simplicidade da vida no campo.

Os que não tem no acervo público gratuito:

  1. Vidas secas – Graciliano Ramos
    É certamente uma obra muito educativa e que provoca reflexões. O bonito é que Vidas Secas obriga o leitor a criar empatia com o retirante nordestino. E empatia é diferente de compaixão. O livro consagrou o escritor Graciliano Ramos como o maior prosador do regionalismo brasileiro da geração dos modernistas da década de 30.
  2. Claro enigma – Carlos Drummond de Andrade
    Publicado em 1951, Claro Enigma nos mostra um poeta mais amargo, voltado para questões mais reflexivas sobre a condição humana. O Drummond social que se destaca na segunda geração modernista da década de 1930, engajado em questões sociais em Sentimento do Mundo (1940), dá a vez a um poeta mais introspectivo e filosófico nesta obra.
  3. Sagarana – João Guimarães Rosa
    Primeira obra de Guimarães Rosa a sair em livro, traz nove contos, nos quais o universo do sertão, com seus vaqueiros e jagunços, surge no estilo marcante que o escritor iria aprofundar em textos posteriores.
  4. Mayombe – Pepetela
    A obra, que cria um painel de Angola nos anos 1970, período da guerra de independência, mostra os desafios enfrentados pelos revolucionários para a libertação do país e critica as divisões internas e a falta de um ideal comum
  5. Minha vida de menina – Helena Morley
    Tendo como pano de fundo um Brasil que acaba de abolir a escravidão e proclamar a República, Morley começa a escrever o seu diário, que nos revela seu universo e um país que adolesce com a menina. É nesse diário que Helena debocha e desmascara as pretensas virtudes alheias. Adolescente de ascendência inglesa, Helena vive na remota cidade de Diamantina em Minas Gerais, símbolo da era da mineração agora em franca decadência. Em um momento crítico de sua vida, ela briga para estabelecer sua liberdade e individualidade. Procurando com sofreguidão não perder uma infantil alegria de viver e reinventando o mundo à sua maneira.

Gostou? Estamos pensando em montar um grupo de leitura e estudo no Brainly. Se você também usa a plataforma, junte-se a nós.

 

 

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas