cinema / destaque / entretenimento

Assisti “O Jantar”, de Oren Moverman, por acidente. Como estudante atrapalhado que sou, confundi os lugares e fui parar na cabine de imprensa errada…

… E que sorte! Porque esse meu erro até que valeu muito a pena!

jantar
O filme é uma adaptação do livro homônimo de Herman Koch e segue a mesma linha sombria e gradualmente reveladora. É angustiante!

Assim que começou – e depois de eu dar conta do meu erro e rir sozinho -, eu já senti um leve ‘quê?’ no ar. Os diálogos e as cenas iam passando e tudo que eu conseguia pensar era: “Que que tá acontecendo? Por que esse casal tá assim, tão aleatório?”

E esse sentimento de tentar entender, a todo o custo, continuou se repetindo durante todo o filme. Quando era revelado um acontecimento e eu parecia estar sacando tudo, os personagens voltavam a conversar de coisas que eu ainda não sabia.

mesa
A história toda é contada ao longo de um jantar de dois casais de uma mesma família. O enredo foi genialmente dividido de acordo com o momento do jantar em que estavam, como: petiscos, entrada e prato principal.

Próximo à metade do filme, os adolescentes, filhos dos casais, finalmente entraram na trama. E é aí que, de repente, o filme tomou um tom sombrio. Eu abri minha boca e, daí pra frente, tudo só piorou.

filho
As personalidades dos casais foram, enfim, se revelando. A história foi se desenvolvendo e, já à sobremesa, minha cabeça estava enroscada com as imoralidades e pensamentos corruptos de cada um ali.

Ao final – abrupto e inesperado – os créditos subiram e meus olhos deixaram a tela e desceram ao chão. Repeti mais uma vez o que dissera durante toda a exibição: “Quê?

Altamente reflexivo. Recheado de revelações e temas como preconceito, relações familiares, corrupções e status quo, ‘O Jantar’ traz a garantia de chocar e incomodar quem quer que esteja assistindo.

The following two tabs change content below.
Vinii ainda é estudante de jornalismo e tem muito o que escrever pela frente. Paulistano de berço, se esforça pra não se acostumar com o cinza e o cruel de Sp. Acredita que há amor aqui, e em qualquer outro lugar, e luta contra o futuro de Black Mirror.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas